Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

terça-feira, 15 de julho de 2014

Quatro crianças sofrem abuso sexual com aval da mãe

Mãe é acusada de negociar as filhas para abusos sexuais. Quatro meninas com idade entre 6 e 11 anos foram estupradas
Uma mulher do município de Itaporanga está sendo acusada pelas quatro filhas de alugá-las para a exploração sexual. Durante oito meses, as meninas com idade entre 6 e 11 anos foram submetidas à estupros e torturas. A suspeita é de que os homens integrem uma quadrilha de pedofilia.
O caso veio à tona na última semana, quando as crianças, que estavam de férias na casa da avó paterna em Maceió, confessaram toda a situação. "As crianças estavam de férias na casa da família do pai e se recusavam a voltar para a casa da mãe em Sergipe. A família já havia estranhado o comportamento das meninas que não dormiam bem e tinha pesadelos à noite. Logo depois, elas acabaram contando que estavam sendo alugadas pela mãe e sendo exploradas sexualmente”, conta o conselheiro tutelar da cidade de Maceió, Arildo Alves.
O conselheiro também revelou alguns detalhes dos depoimentos dados pelas crianças. “Segundo relatos das meninas, um carro com vários homens ia buscá-las à noite. Elas eram levadas para uma fazenda e enquanto umas eram abusadas, as outras eram amarradas na cadeira e tinham a boca amordaçada. Elas também contaram que o namorado da mãe participava dos abusos e que também teriam visto crianças assassinadas”, detalha. Ainda de acordo com ele, uma das meninas contou que ouviu a mãe dizer a um dos homens: “Pode abusar, mas não pode matar”. Arildo explicou que o pai das crianças é separado da mãe e morava na cidade de São Paulo. Ele pediu demissão do emprego e voltou a Maceió para acompanhar o caso.
O caso foi levado ao Conselho Tutelar e as crianças foram encaminhadas para a realização de exames no Instituto Médico Legal (IML), que comprovaram sinais de abusos em todas as meninas. Elas eram obrigadas a tomar injeção nos órgãos genitais, provavelmente anestesia. Nos exames, foi diagnosticado que a mais nova está contaminada pelo vírus da AIDS.  
Investigações
A Promotoria da Infância e representantes da Coordenação Nacional de Enfrentamento ao Abuso Sexual já estão em Maceió para acompanhar o caso. A Polícia Federal também está investigando. Já a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) informou que o caso ainda não chegou à Delegacia de Itaporanga.

Por Verlane Estácio, do portal INFONET.