Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

domingo, 15 de junho de 2014

PSB confirma Lídice, Eduardo e Eliana candidatos

Lídice da Mata - Governadora
O PSB confirmou a chapa que vai concorrer às eleições deste ano na Bahia. A senadora Lídice da Mata foi escolhida para governadora, o ex-prefeito do município de Brumado, no Sudoeste da Bahia, Eduardo Vasconcelos para vice e a ex-juíza Eliana Calmon para o senado foram homologados nos principais cargos em disputa. O evento contou com as presenças de Eduardo Campos e Marina Silva, respectivamente, candidatos a presidente e a vice na chapa nacional do partido. Como representante do PSL, o deputado estadual Deraldo Damasceno firmou o apoio da sigla aos socialistas baianos. Por volta do meio-dia já havia sido contabilizado cerca de 240 municípios presentes à Convenção no Bahia Café Hall, na Paralela. Compareceram também o ex-secretário de Turismo do Estado, Domingos Leonelli, o deputado estadual Capitão Tadeu. Ambos concorrerão a vagas na Câmara Federal. Também marcaram presença Fabíola Mansur, Rose Bassuma, candidatas à Assembleia Legislativa e o vereador Sílvio Humberto.
Eduardo Vasconcelos - Vice
Além da manifestação do PSL, Lídice, Eduardo Vasconcelos e Eliana Calmon receberam o apoio dos dissidentes do PPS da Bahia, que não concordam com a direção dada à agremiação pelo seu presidente regional. Marcaram presença a vereadora Ana Dalva (Heliópolis), Marcos Vieira (ex-Secretário Geral do Partido), Poly (Ex-presidente) além de prefeitos e vereadores da legenda. Eles ainda aguardam um posicionamento da Justiça sobre a querela. Do PSB de Heliópolis, marcou presença apenas o professor Landisvalth Lima, que teve seu nome incluso na relação dos candidatos a deputado federal. Os dois partidos, PSB e PSL, devem apresentar uma coligação com cerca de 20 nomes para concorrer a deputado federal e 50 para a Assembleia Legislativa.
Marina Silva: esperança, coragem e ousadia!  
Marina Silva - Vice de Eduardo Campos
A candidata a vice-presidente ao lado de Eduardo Campos (PSB), Marina Silva (PSB), minimizou a importância do tempo da propaganda de rádio e TV para vencer a disputa eleitoral, durante a convenção estadual da legenda em Salvador. "Os vitoriosos não serão aqueles que terão mais tempo de televisão, mas aqueles que estiveram mais antenados com o coração dos brasileiros, dos jovens, dos trabalhadores, dos empresários, dos agricultores", defendeu. A ex-ministra esteve no evento que oficializou os nomes de Lídice da Mata, Eduardo Vasconcelos e Eliana Calmon em uma chapa majoritária puro sangue do PSB.
Ana Dalva e Marina Silva
A líder do movimento Rede Sustentabilidade, cujo registro foi negado pela Justiça Eleitoral por não receber apoiamento mínimo, afirma que a união com Campos foi a primeira aliança política que não foi feita com base no tempo de TV. "A Rede ainda não tem registro, não é partido oficial, não traz um minuto de tempo de televisão. Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho é a esperança, a coragem e a ousadia", sentimentalizou. De acordo com Marina, se os adversários vencerem o pleito de outubro, "a vitória será deles, das estruturas e do tempo de TV". "Se Eduardo [Campos] e Lídice ganharem, será uma vitória sofrida", comparou.
Eduardo Campos: não há campeão antes do jogo terminar!
Eduardo Campos - candidato do PSB a Presidente - faz pronunciamento.
Em terceiro lugar no ranking dos candidatos à Presidência nas pesquisas de intenção de voto, o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) comparou, durante convenção estadual da legenda neste sábado (14), o cenário eleitoral atual com a vitória da Holanda sobre a Espanha por 5 a 1 na Arena Fonte Nova na sexta-feira (13). "Tem gente que está entrando em campo como ontem a seleção da Espanha, se achando campeã. E fique certo que, como aqui na Fonte Nova, que a Holanda mostrou que não existe campeã antes do jogo, temos certeza de que essa presunção já foi derrotada e vai ser derrotada no dia 5 de outubro. Temos certeza de que o jogo nem começou. As pessoas nem sabem quais são os candidatos que irão enfrentar a presidente [Dilma Rousseff]. As pessoas não sabem quais são os nossos programas", justificou, em discurso à militância no evento, em que também esteve presente a postulante a vice-presidente Marina Silva. Campos também levantou o tom nas críticas contra a política econômica da presidente Dilma Rousseff. "O Brasil pegou o caminho errado e parou de crescer. A inflação voltou a tocar e corroer o salário dos mais pobres. O Brasil viu de volta a maior taxa de juros de toda nossa história recente. O Brasil precisa reencontrar seu caminho, com distribuição de renda", defendeu. Ele também citou o fechamento de fábricas baianas devido ao custo da energia. "A Bahia do semiárido e do Recôncavo já sentiu os efeitos da crise da gestão da energia no Brasil.
Campos, Marina e Fabíola Mansur
A gestão que fez com que a Petrobras, em dez anos, perdesse a metade do seu valor no mercado já é sentida pelas empresas que tinham mais de 20 anos na Bahia e fecharam suas portas, desempregaram seus trabalhadores, pela má condução da política energética do Brasil", censurou. O ex-governador de Pernambuco também falou sobre os parques eólicos de Ilhéus, sul do estado, que não estariam ligados à rede de transmissão do país, além da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), que segundo ele, "não saiu da propaganda para a realidade". "O Brasil derrubou, nas manifestações de rua, há um ano atrás, o muro que separa o Brasil real do que se vive em Brasília. A outra parte do muro nós vamos derrubar nas urnas em outubro, construindo um governo que tenha coragem de lutar na oposição", prometeu.
Lídice da Mata: segurança e educação são direitos!
Landisvalth Lima e Lídice da Mata
A candidata ao governo estadual Lídice da Mata (PSB) criticou, em convenção da legenda neste sábado (14), a proposta do adversário Rui Costa (PT) de contratar 40 mil policiais caso seja eleito em outubro. Ela defendeu o projeto adotado em Pernambuco durante a gestão do ex-governador Eduardo Campos (PSB), atual candidato à Presidência também presente no evento, que teria conseguido reduzir os índices de criminalidade no estado. "Não é fazer o que meu adversário [Rui Costa] está dizendo, que vai contratar 40 mil policiais, porque o atual governo já contratou 13 mil, já comprou bala, já deu mais carros para a polícia e o crime continua aumentando", disse, em discurso aos militantes. Lídice defendeu uma "política de segurança pública" e não ações pontuais.
Ana Dalva e Lídice da Mata
"É preciso construir uma rede forte de segurança social para proteger os adolescentes das nossas periferias abandonadas. E não podemos fazer isso apenas dizendo que vamos dar escola, saúde e esporte, porque é área pobre. Isso nem é política de segurança pública nem de educação, porque os dois são direitos", justificou. Ainda com enunciado dirigido oponentes, alegou, sem citar nomes, que nenhum deles representa "o novo". "Todo mundo está dizendo que é novo na eleição da Bahia. Até o mais velho, o que já foi governador duas vezes, está dizendo que tem proposta nova para a Bahia. O outro acha que é novo, porque é cronologicamente, na idade. E tem um outro que pensa que é novo, porque faz papel de radical no meio na rua. Ser novo é apresentar as ideias novas para governar o nosso povo", afirmou.
Eliana Calmon e Ana Dalva
PSOL já tem candidatos também
Marcos Mendes - Governador (PSOL)
A convenção do Psol baiano confirmou as candidaturas do partido para as eleições de outubro. O encontro do partido teve início por volta das 10h30min deste sábado (14), no Sindicato dos Bancários da Bahia, em Salvador. Para concorrer ao cargo máximo no estado, a sigla aposta novamente no nome de Marcos Mendes. O cargo de vice ficará com Ronaldo Santos. Hamilton de Assis deve ser legitimado para o senado. Segundo a presidente municipal do Psol, Zilmar Alverita, as candidaturas são resultado de plenárias realizadas pelo partido em outubro do ano passado. O partido ainda espera apoio do PSTU, que até o momento não oficializou o apoio ao Psol baiano. Pelo meio-dia, o partido homologou as canditaturas. Pela tarde, os integrantes do partido discutiram encaminhamentos para as eleições. Segundo Zilmar, está previsto outro encontro para apresentar a chapa do partido. Em nível nacional, a sigla trabalha para que a ex-deputada federal pelo Rio Grande do Sul, Luciana Genro, seja efetivada como candidata a presidente da República. Outro nome que pode disputar a majoritária nacional é o deputado estadual fluminense Marcelo Freixo. Na convenção baiana, o professor Walter Autino, que integrava o Movimento Passe Livre nas manifestações de 2013 será apresentado como candidato a deputado estadual. Entre as bandeiras de Autino, a redução da carga horária para professores da rede estadual e passe livre interestadual para estudantes.
PSDB oficializa Aécio Neves
Aécio Neves - Presidente (PSDB)
Aécio Neves, do PSDB, foi indicado como candidato à Presidência da República em convenção neste sábado (14). De acordo com a Folha, o senador mineiro vai ser apresentar como opção de "mudança confiável" para eleitores insatisfeitos com o governo de Dilma Rousseff. Os tucanos escolheram São Paulo, maior colégio eleitoral do país e governado pelo PSDB há quase duas décadas, para o lançamento oficial de Aécio. No mesmo estado, a presidente Dilma tem maior rejeição do que em outras regiões do país. Em seu discurso, Aécio defendeu uma gestão "firme e transparente" da economia. Ele também fez críticas à presidenta e ao mesmo tempo propôs um pacto com o mercado financeiro e ao meio empresarial. Ainda segundo a Folha, Aécio deve indicar um compromisso em manter programas sociais que viraram marca registrada dos governos petistas, como o Bolsa Família. Durante a convenção, vários líderes tucanos fizeram pronunciamentos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principal fiador político de Aécio, e o ex-governador paulista José Serra, que por vários anos foi o principal desafeto de Aécio no partido.
PV vai de Eduardo Jorge e Célia Sacramento
Eduardo Jorge e Célia Sacramento
A candidatura do médico e ex-deputado federal Eduardo Jorge à Presidência da República foi oficializada na convenção do PV, realizada neste sábado, em Brasília. O baiano, radicado em São Paulo, onde foi secretário municipal de Saúde e Meio Ambiente, terá ao seu lado a vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, confirmada em junho como componente da chapa. “O PV é um partido do século 21. Os três partidos grandes [PT, PSDB e PSB] ainda estão no século 20. Eles continuam ligados naquele velho sistema capitalista e socialista, em que a questão do meio ambiente é considerada uma coisa secundária, quando não desprezível”, disse Jorge. O candidato aposta na irritação da população com os atuais representantes em atuação. “Querem lições novas, avançadas, de vanguarda, renovadoras, essenciais para a defesa nos nossos países do planeta e acho que vamos ter um trânsito grande nesse debate, nessa conversa com os cidadãos a partir de julho”, acredita. Entre os pontos defendidos no seu programa de governo, está a reforma política, com adoção do parlamentarismo, do sistema de voto distrital misto e facultativo (sem obrigatoriedade) e políticas de desenvolvimento sustentável, com foco na expansão da energia eólica, além de mudanças na condução da economia.  
Zé Maria é candidato do PSTU
Zé Maria - PSTU
O PSTU oficializou a candidatura de José Maria de Almeida, Zé Maria, à Presidência da República, em convenção nacional ocorrida neste sábado (14), no auditório do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo, na zona norte da cidade. A professora e assistente social Cláudia Durans é vice em sua chapa. “Queremos mudança. É preciso que o Brasil tenha um governo que tenha coragem de romper com banqueiros e as grandes empresas. Para fazer com que a riqueza e os recursos que o nosso país têm possam garantir saúde, educação, moradia, transporte coletivo, reforma agrária e aposentadoria, ou seja, vida digna para o povo brasileiro”, afirmou ele, que lembrou as manifestações realizadas no ano passado. “Desde junho do ano passado, nós tivemos centenas de milhares de trabalhadores e jovens nas ruas protestando contra o sucateamento do serviço público, a degradação das condições de vida das pessoas. O PSTU vai levar para a campanha eleitoral uma expressão dessas exigências de junho, de mudança no país de forma que nosso povo possa ter uma vida digna”, discursou. Zé Maria foi candidato à Presidência da legenda em 1998, 2002 e 2010.
Pastor Everaldo é candidato pelo PSC

Pastor Everaldo - do PSC
Partido do atual prefeito de Heliópolis, o PSC também lançou candidatura própria para o cargo neste sábado. O nome do pastor Everaldo foi confirmado na convenção nacional do partido, realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo, na capital paulista. Ele foi escolhido candidato da sigla por todos os 60 delegados presentes no evento. Pastor da Igreja Assembleia de Deus e vice-presidente nacional do PSC, ele criticou a política tributária e econômica da atual gestão e citou a quantidade de ministérios: “São 30 mil cargos comissionados que geram burocracia e a burocracia é irmã da corrupção”. O candidato a vice-presidente do partido deverá ser anunciado no próximo dia 31.
Com informações básicas do Bahia Notícias, O Globo, Folha de São Paulo e Agência Brasil.