Exclusivo!

Poço Verde nega título a Lula. E daí?

A cegueira ideológica impede a transformação real da sociedade (foto: porvir.org.) Dizem que o Brasil está tão dividido que é preciso ...

Novidade

terça-feira, 13 de maio de 2014

Nego e Cleigivaldo são considerados foragidos e 70 milhões foram desviados

Seis ex-prefeitos estão entre os suspeitos e tiveram prisão determinada pela justiça. Operação 13 de Maio investiga desvios de pelo menos R$ 70 milhões.
Prefeito Cleigivaldo, de Sítio do Quinto, está foragido (foto:Bocão News)
Os prefeitos baianos de Fátima, José Idelfonso Borges dos Santos, e de Sítio do Quinto, Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa, ambos do PDT, são considerados foragidos pela Polícia Federal que realizou na manhã desta terça-feira (13) a Operação 13 de Maio, investigando desvio de recursos públicos e corrupção praticados em prefeituras de 20 municípios baianos. O montante de dinheiro desviado pelas prefeituras investigadas pela Operação 13 de Maio foi de pelo menos R$ 70 milhões, segundo o delegado José Nogueira, da Polícia Federal (PF), responsável pelas investigações. Inicialmente, a expectativa era de que os valores desviados girassem em torno de R$ 30 milhões. Os alvos da ação são prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, secretários ou ex-secretários e funcionários públicos. Segundo a assessoria de imprensa da PF, 18 dos 29 mandados de prisão já foram cumpridos e muitos dos detidos foram levados para o posto da instituição em Feira de Santana, para prestar depoimento. Já os 83 mandados de busca e apreensão foram cumpridos na sua totalidade. A assessoria da PF informou que uma das prefeituras nas quais foram realizadas buscas foi a de São Francisco do Conde, cidade onde esteve o ex-presidente Lula nesta segunda-feira (12).
Dos dois prefeitos foragidos, Cleigivaldo é o que tem mais problemas com o TCM. Prefeito em segundo mandato, Cleigivaldo Santa Rosa teve as contas reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) referentes aos anos de 2010, 2011 e 2012. Politicamente, ele é ligado ao presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), e o deputado federal Mário Negromonte (PP). O Idelfonso Borges, de Fátima, o Nego, é considerado um bom administrador e está em alta com a população. Dizem que o problema maior de Nego é a proximidade com o ex-prefeito Sorria, Manoel Missias, que comandava as irregularidades. Entretanto, não é a primeira vez que o prefeito de Fátima, também ligado a Marcelo Nilo e em segundo mandato, se enrola com a polícia. Na eleição ele foi preso por corrupção eleitoral. 
Os novos números divulgados pela Polícia Federal, 70 milhões, ainda não é, nem de longe, o correspondente aos desvios reais. Só em Heliópolis, com a festa do São Pedro, foram mais de 2 milhões, sem falar no Aniversário da cidade, nas festas de fim de ano, nas obras empenhadas sobre as mesmas obras feitas pelo Estado da Bahia. Acreditamos que a Polícia Federal está mais centrada nos desvios do dinheiro federal. Somados aos desvios de recursos municipais e estaduais, falar em 300 milhões ainda é pouco. Ainda mais se pensarmos que são recursos de mais de 20 municípios, ao longo de 4 anos de mandato, de 2008 a 2012. Mas já é um começo. Esperamos agora que a Justiça seja tão eficiente quanto a Polícia Federal e contribua para acabar de vez com história de desvios de recursos de municípios que, por natureza, já são pobres. Cada centavo desviado contribuirá para continuarmos involuindo.
Com informações complementares do Bahia Notícias, Bocão News, A Tarde e Correio.