Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

terça-feira, 15 de abril de 2014

Professores do Estado param por 24 horas

Servidores do Estado da Bahia se reúnem nesta quarta-feira (16) no Ginásio de Esportes do Sindicato dos Bancários e podem decretar greve geral
O feriado da Páscoa ficou maior para os alunos da rede estadual de ensino. É que os professores da rede estadual de ensino irão parar as atividades nesta quarta-feira (16), em adesão à paralisação dos servidores públicos do Estado. De acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Marilene Betros, a categoria irá participar da assembleia que reunirá todos os funcionários estaduais, no Ginásio de Esporte dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, na manhã desta quarta. Conforme a sindicalista, os docentes e demais servidores são contrários à proposta de governo de dividir o pagamento do reajuste linear em duas vezes, 2% em abril (retroativo a janeiro) e 3,91% em julho, e cobram o pagamento da Unidade de Real Valor (URV). Portanto, não haverá aulas nesta quarta-feira no Colégio Estadual José Dantas de Souza. As aulas voltarão ao normal na próxima terça-feira (22), caso não seja decretada greve geral.
Também interromperão suas atividades os policiais civis. Eles vão aderir à paralisação dos servidores estaduais, nesta quarta-feira (16), e apenas 30% do efetivo deve manter as atividades normais. De acordo com o secretário-geral do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (Sindpoc), Bernardino Gaioso, os trabalhadores só deverão fazer os registros de flagrantes e levantamento cadavérico no período. A categoria irá participar de assembleia no Ginásio de Esportes dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, a partir das 9h desta quarta, que reunirá os funcionários do Estado. Segundo o representante sindical, durante a reunião, serão apresentadas todas as pautas de cada categoria em separado e deve ser apreciado um indicativo de greve geral. Além da pauta comum aos trabalhadores estaduais, contrários ao parcelamento do reajuste salarial e a favor do pagamento da URV, os policiais reivindicam o cumprimento da aposentadoria especial e um novo modelo de segurança pública.

As informações são do Bahia Notícias.