Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

sábado, 8 de março de 2014

Contas do STRH de 2013 são rejeitadas

Trabalhadores rurais rejeitaram contas do STRH de 2013  (foto: Jorge Souza)
      Se já estava difícil para Juarez Carlos Oliveira vencer a disputa que o colocaria de novo na presidência do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Heliópolis – STRH, agora é que o caldo engrossou. Reunidos em Assembleia Geral, neste sábado (8), na Câmara Municipal de Heliópolis, a Junta Diretiva do sindicato colocou em apreciação as contas relativas ao ano de 2013, prestadas por Juarez, no seu último ano à frente da entidade sindical. Durante toda a exposição detalhada dos gastos foram detectadas várias irregularidades. Detectaram gastos em demasia de material de escritório, empréstimos irregulares, pagamentos indevidos etc. Uma das irregularidades que chamou a atenção foram os pagamentos feitos a José Elson de Lima, conhecido pelo apelido de Raizeiro. Ele receitava remédios naturais e era contratado pelo STRH. Seu salário: 1.356,00. Toda receita do sindicato em 2013 foi de pouco mais de 201 mil reais. Além das irregularidades, ficou visível o declínio da arrecadação da instituição. Em 2014, a Junta Governativa, liderada por Maria do Beiju, indica que a arrecadação está ainda menor, graças ao processo eleitoral que não consegue ser efetivado para dar tranquilidade aos próximos diretores na busca dos meios de promover a elevação da receita. Por tudo isso, os associados presentes, por unanimidade, rejeitaram as contas do STRH do ano de 2013. Com esse resultado, Juarez Carlos Oliveira fica inelegível. Tudo indica, haverá só uma chapa para concorrer ao próximo pleito, já que José Guerra, secretário de agricultura do município, manifestou apoio à composição liderada por dona Edmeia Torres. Durante a Assembleia, os associados exibiram faixas exigindo a realização da eleição para escolha dos novos dirigentes. Eles dizem não mais aguentar esta indefinição. Como o principal entrave era Juarez Carlos, eles agora não veem mais motivos para delongas. Só que há uma audiência marcada para o dia 12 de março, próxima quarta-feira, na Justiça do Trabalho de Euclides da Cunha. Se o Juiz quiser dar um fim na peleja, deverá marcar a data da nova eleição. Caso contrário, como a Junta Diretiva atual já está concluindo o mandato, outra junta será eleita e, em seguida, deverá convocar novo pleito eleitoral.