Exclusivo!

O predador da Petrobrás

Sérgio Gabrielli (foto: Terra.com) Em apenas uma única obra da Petrobrás, o Comperj – Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, localiz...

Novidade

sábado, 4 de janeiro de 2014

Candidatos já podem consultar nota do Enem 2013

Nota do Enem é a porta de entrada exclusiva para 171 mil vagas em instituições públicas de ensino superior
Os 5 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 já podem consultar seus resultados individuais a partir deste sábado, dia 4. A consultar é feita pelo site www.inep.gov.br. Clique aqui e confira sua nota.
Desempenho no Enem também é usado na obtenção de bolsas em faculdades particulares
A nota do Enem é a porta de entrada exclusiva para 171 mil vagas em instituições públicas de ensino superior, sobretudo federais, neste primeiro semestre. A inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que centraliza as vagas, abre na segunda-feira, dia 6. A inscrição ocorre pelo site sisu.mec.gov.br. O desempenho no Enem também é usado na obtenção de bolsas de estudos em faculdades particulares pelo Programa Universidade Para Todos (ProUni) e para financiamento estudantil federal (Fies). Ainda serve para certificação do ensino médio e para participação no Programa Ciência Sem Fronteiras, de bolsas no exterior.
O candidato que fez o Enem tem acesso a cinco notas: a da redação, que vai de 0 a 1.000, e das quatro áreas da prova (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Linguagens). Por causa do modelo matemático adotado na correção do Enem, chamado Teoria da Resposta ao Item (TRI), as notas das áreas não chegam a 1.000 (a escala com as notas mínimas e máximas ainda será divulgada) e a pontuação não corresponde exatamente ao número de acertos. Como a prova divide as questões em níveis de dificuldade, a nota depende também de quais itens foram acertados. Dois participantes com o mesmo total de acertos podem ter, portanto, notas diferentes por causa da diferença de dificuldade das questões. No Sisu, algumas instituições podem dar peso diferenciado para alguma área da prova na seleção de determinados cursos. Mas, em geral, a média para se chegar à nota de corte é obtida com as cinco notas (somadas e divididas por cinco).
Confira o calendário:
Inscrições no Sisu: De 6 a 10 de janeiro
Divulgação dos resultados da 1ª chamada: 13 de janeiro de 2014
Matrícula da 1ª chamada: Dias 17, 20 e 21 de janeiro de 2014
Divulgação dos resultados da 2ª chamada: 27 de janeiro de 2014
Matrícula da 2ª chamada: 31 de janeiro, 3 e 4 de fevereiro de 2014
Inscrição na lista de espera (somente para a 1ª opção de curso): 27 de janeiro até 7 de fevereiro de 2014

Informações de Paula Saldanha, de O Estado de São Paulo

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Concurso em Heliópolis: 4.300 disputam mais de 100 vagas neste domingo

Haverá vários concursos neste ano. Saiba quais são os principais concursos previstos para 2014. Diversos órgãos de nível federal e estadual já receberam autorização para lançar editais.
4.300 disputam 106 vagas neste domingo em Heliópolis
Neste domingo (5), 4.300 candidatados vão disputar questão por questão as 106 vagas oferecidas pela Prefeitura Municipal de Heliópolis. Todas as escolas públicas municipais e estaduais cederam seus espaços para abrigar os concorrentes. Até escola do povoado Tijuco foi reservada para tal fim, além de solicitação de espaço público também em Cícero Dantas. É, de fato, o maior concurso público da história do município e torcemos para que se torne uma prática. Apesar de muitos agentes públicos torcerem o nariz para os concursos, há um bem inegável: o aprimoramento nos estudos. Tem gente que estava com o cérebro na geladeira há anos. Uma candidata chegou a dizer que a última vez que abriu uma gramática “foi quando o professor Landisvalth ensinava Português no Waldir Pires”, e, convenhamos, não tem tanto tempo assim. Caso tudo ocorra como manda o figurino, os concursos primam pela valorização da busca do conhecimento e pelo aprimoramento da inteligência e do saber. Além disso, detona o uso do emprego público como moeda de troca eleitoral. Também está sendo esperada a licitação da empresa que aplicará as provas para o concurso da Câmara Municipal de Heliópolis, que deve sair este mês, com oferta de seis postos de trabalho.
Mas não é só em Heliópolis. O ano de 2014 será um bom para os concurseiros. Quem já está se preparando deve reforçar o planejamento de horários e disciplinas. Já para aqueles que ainda não começaram a estudar, essa é a hora de montar um plano de estudos e aproveitar o tempo disponível. Diversos órgãos de nível federal e estadual receberam autorização ainda em 2013 para realizar concursos. De janeiro até junho serão lançados editais para vagas, por exemplo, na Polícia Rodoviária Federal (PRF), Caixa Econômica Federal (CEF), Correios, SSP-BA, Fiocruz, e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Outros como Receita Federal, Polícia Federal e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) ainda aguardam autorização. Também está prevista a realização de certame para soldado da Polícia Militar da Bahia. Há oportunidades para diversos níveis de escolaridade. Está dada a largada, basta escolher o concurso de preferência e se dedicar. Veja abaixo a lista dos concursos que serão realizados este ano:
1 - Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)
Solicitou 386 vagas ao Ministério do Planejamento (aguarda autorização)
Cargos: técnico administrativo, técnico de regulação de aviação (nível médio), especialista em regulação de aviação e analista administrativo (superior)
Salários: R$ 5.133,18 (técnico administrativo), R$ 5.357,98 (técnico de aviação), R$ 9.636,20 (analista) e R$ 10.392,20 (especialista)
2 - Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)
100 vagas
Cargos: 12 vagas para técnico em regulação de serviços de telecomunicações, 20 para analista administrativo, 20 para técnico administrativo e 48 para especialista em regulação de serviços de telecomunicações
Salários: R$ 10.019,20 a R$ 17.479 para especialista, R$ 4.984,98 a R$ 7.935,76 para técnico em regulação, R$ 4.760,18 a R$ 7.664,76 para técnico admininistrativo, R$ 10.429 a R$ 16.367 para analista administrativo
Edital até junho
3 - Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe)
100 vagas
Nível médio e superior
Cargos: agente legislativo (40 vagas/nível médio), técnico (10 vagas/nível médio), e analista (50 vagas/nível superior)
Salário inicial: de 4.780,74 a R$ 11.315,33
Edital previsto para o primeiro trimestre de 2014
4 - Câmara dos Deputados
Nível médio e superior
Cargos: Policial e consultor legislativo
Organizadora: Cespe/UnB
5 - Caixa Econômica Federal (1)
Nível médio
Cargo: técnico bancário
Salário inicial: R$ 2.715,04
Organizadora: Cespe/UnB
Edital previsto para início de 2014
6 - Caixa Econômica Federal (2)
Nível superior
Cargos: advogado, engenheiro, arquiteto e médico do trabalho
Salários: de R$ 4.563,04 a R$ 8.285,04
Organizadora: Cespe/UnB
7 - Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU)
525 vagas
Nível médio, técnico, superior e formação de cadastro de reserva
Cargos: segurança ferroviário, operador de estação, condutor de veículos metroferroviários, operador de máquinas e equipamentos, administrador, advogado, psicólogo, segurança do trabalho, engenheiro de transportes, engenheiro mecânico, entre outros
Salário: até R$ 5.087,42
Lotação: Belo Horizonte (52), João Pessoa (61), Maceió (32), Natal (56), Recife (203) e Rio de Janeiro (121)
8 - Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN)
86 vagas
Nível médio e superior
Cargos: analista em ciência e tecnologia e tecnologista, ambos de nível superior, e assistente em ciência e tecnologia e técnico, ambos de nível médio
Autorização: 27/09/2013
Edital até março
9 - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios)
Nível médio e superior
Cargos: carteiro, atendente comercial e operador de triagem e transbordo (nível médio) e diversas áreas de nível superior
Salário: de R$1.871 a  9.190 vagas
Edital previsto para início de 2014
10 - Fundação Biblioteca Nacional
40 vagas
Nível superior
Cargos: 20 vagas de bibliotecário e 20 de técnico em documentação
Salários: R$ 3.980
Autorização: 27/09/2013
Edital até março
Haverá concurso também para a Polícia Federal
11 - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro)
30 vagas
Nível médio
Cargo: assistente em ciência e tecnologia da carreira de gestão, planejamento e infraestrutura em ciência e tecnologia
Salário: R$ 2.546,13
Autorização: 27/09/2013
Edital até março
12 - Fundação Nacional de Artes (Funarte)
50 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 5 vagas para administração e planejamento (nível superior), 5 para profissional de artes cênicas (nível superior), 10 para profissional técnico superior I (nível superior), 4 para profissional técnico superior II (nível superior), 3 para profissional técnico superior III (nível superior), 1 para cenógrafo (nível superior), 8 para assistente administrativo (nível médio), 3  para assistente financeiro (nível médio), 4 para assistente técnico I (nível médio), 2 para contrarregra (nível médio) e 5 para operacional administrativo (nível médio)
Autorização: 05/09/2013
Edital até março
13 - Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
400 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 35 vagas para especialista em ciência e tecnologia e inovação em saúde pública (nível superior), 169 para pesquisador em saúde pública – assistente (nível superior), 113 para tecnologista em saúde pública (nível superior), 8 para analista de gestão em saúde pública (nível superior) e 75 para técnico em saúde pública (nível médio)
Autorização: 4/12/2013
Edital até junho
14 - Hospital Universitário (HU) Doutor Washington Antônio de Barros da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
737 vagas
Cargos: médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, além de profissionais de nível superior e médio de outras áreas
Autorização: 11/12/2013
Edital até junho
15 - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio)
271 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 168 vagas para técnico administrativo (nível médio), 53 para técnico ambiental (nível médio) e 50 para analista administrativo (nível superior)
Salários: R$ 3.039 para nível médio e R$ 5.761 para nível superior
Autorização: 4/11/2013
Edital até maio
16 - Marinha
33 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 5 vagas para administrador (nível superior), 7 para analista de sistema (nível superior), 1 para contador (nível superior) e 20 para agente administrativo (nível médio)
Edital até junho
17  - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)
796 vagas
Nível médio e superior
Salário inicial: varia de R$ 2.570 a R$ 11.531,69
Cargos: 232 vagas para fiscal federal agropecuário, 50 para agente de atividades agropecuárias (nível superior), 100 para agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal (nível superior), 110 para agente administrativo (nível médio), 25 para administrador (nível superior), 2 para bibliotecário (nível superior), 6 para contador (nível superior), 4 para economista (nível superior), 3 para engenheiro (nível superior), 3 para geógrafo (nível superior), 2 para psicólogo (nível superior), 5 para técnico de contabilidade (nível médio), 70 para auxiliar de laboratório (nível médio/técnico), e 184 para técnico de laboratório (nível superior)
Organizadora: Consulplan
Autorização: 17/09/2013
Edital até março
18 - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)
75 vagas
Cargos: 20 vagas para analista em ciência e tecnologia, 40 para tecnologista e 15 para pesquisador
Nível superior
Autorização: 05/07/2013
Edital até janeiro
19 - Ministério da Educação (MEC)
1.439 vagas
Nível médio e superior
Cargos: professor da carreira de educação básica, técnica e tecnológica e técnicos administrativos em educação
Autorização: 27/09/2013
Edital até março
20 - Ministério da Fazenda
1.026 vagas
Nível médio
Cargo: assistente técnico-administrativo
Salários: R$ 2.802
Autorização: 4/11/2013
Organizadora: Esaf
Edital até maio
21 - Ministério da Saúde
2,5 mil vagas
Nível médio e superior para área de saúde indígena
Cargos: 1.249 vagas para auxiliar de enfermagem, 16 para técnico de laboratório, 30 para administrador, 47 para assistente social, 623 para enfermeiro, 54 para farmacêutico, 210 para médico, 29 para nutricionista, 219 para odontólogo, 22 para psicólogo e 1 para terapeuta ocupacional
Organizadora: Cespe/UnB
Os Correios devem realizar concurso este ano
22 - Ministério da Saúde (2)
499 vagas temporárias
Nível médio e superior
Cargos: 182 vagas para médico, 182 para enfermeiro, e 135 para técnico de enfermagem
23 - Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) (1)
450 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 35 vagas de contador, de nível superior, e de 415 vagas de agente administrativo, de nível médio
Salários: R$ 2.570 (nível médio) e R$ 3.980 (nível superior)
Autorização: 27/09/2013
Organizador: Cespe/UnB
Edital até março
24 - Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) (2)
500 vagas
Nível superior
Cargo: auditor-fiscal do trabalho
Salário: R$ 14.280
25 - Polícia Federal
Solicitou 600 vagas para agente, 450 para escrivão e 150 para delegado ao Ministério do Planejamento (aguarda autorização)
Nível superior
Salário: até R$ 15.743,64
26 - Polícia Militar de Sergipe
600 vagas
Nível médio
Cargo: soldado
Salário: R$ 1.040,68 a R$ 2.081,37
Organizadora: Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab)
27 - Polícia Rodoviária Federal (PRF)
216 vagas
Nível médio
Cargo: agente administrativo
Salário: R$3.689,77
Edital até junho
28 - Receita Federal
Solicitou 3 mil vagas ao Ministério do Planejamento (aguarda autorização)
Nível superior em qualquer área
Cargos: 1.600 vagas para analista e 1.400 para auditor
Salários: R$ 8.768,88 (analista) e R$ 14.653 (auditor)
29 - Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA)
Nível superior
Cargos: perito criminal, perito médico-legal, perito odonto-legal e perito técnico da polícia
Organizadora: Fundação Carlos Chagas (FCC)
30 - Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal
2.534 vagas imediatas e 3.800 de cadastro de reserva
Nível superior, técnico e fundamental
Cargos: médico, cirurgião dentista, enfermeiro, especialista em saúde, técnico em saúde, e auxiliar operacional de serviços diversos
Autorização: 21/10/2013
Provimento das vagas está condicionado à elaboração de um calendário de nomeações a ser proposto pela Secretaria de Estado de Saúde
30 - Tribunal de Justiça do Ceará (1)
93 vagas
Cargo: juiz substituto
Organizadora: Fundação Carlos Chagas (FCC)
Edital até março
31 - Tribunal de Justiça do Ceará (2)
238 vagas
Cargo: servidor
Organizadora: Cespe/UnB
Edital até fevereiro
32 - Tribunal de Justiça de Sergipe
Nível médio e superior
Cargos: técnico e analista judiciário
33 - Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região, na Paraíba
25 vagas
Nível médio e superior
Cargos: 15 vagas para técnico judiciário com especialização em tecnologia da informação (nível médio), 7 para analista judiciário com especialização em tecnologia da informação (nível superior), 2 para analista judiciário com especialização em contabilidade (nível superior) e 1 para analista judiciário na área de medicina (nível superior).
34 - Correios abrirá vagas para carteiro, atendente comercial e operador de triagem e transbordo e diversas áreas de nível superior
Com informações básicas de Luana Marinho – do CORREIO.


quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Você será feliz em 2014 se.....

                                                          Landisvalth Lima
.... em Brasilia a presidenta Dilma Rousseff parar de usar os programas sociais como base fundamental de sua reeleição. Além dos Bolsas-quaisquer-coisas, temos o Minha-Casa-quaisquer-coisas que, somados ao “nunca jamais na história desse país” e ao “apostadores do pessimismo” vão pavimentando a estrada ilusória deste país, com vocação sacrificada para a convivência com a democracia. É bom se lembrar do que disse o jornalista Fernando Rodrigues, da Folha de São Paulo: “O Brasil terá neste ano sua sétima eleição presidencial direta consecutiva. O vencedor tomará posse em 1º de janeiro de 2015. Quando a cerimônia for realizada, será um fato histórico inédito.” É verdade. Não se pode negar que estamos na nossa melhor era, mesmo com os escândalos de plantão, verdadeiros testes da nossa paciência com o uso inadequado da democracia. Mas há um preço altíssimo. A classe média está pagando a conta. E é uma conta absurda: o Impostômetro da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) – que mede a arrecadação de impostos federais, estaduais e municipais – atingiu a marca recorde de R$ 1,7 trilhão nesta terça-feira (31), por volta das 13h40. O valor corresponde aos tributos pagos pelos brasileiros desde o dia 1º de janeiro de 2013. Em 2012, o Impostômetro ficou em R$ 1,5 trilhão em impostos arrecadados, número alcançado no dia 9 de dezembro de 2013. É muita grana, principalmente quando medimos o nível da educação e da saúde públicas no Brasil. O que aumentou no país, verdadeiramente, foi a corrupção, o gasto com propaganda oficial e a ineficiência dos serviços públicos. Não dá para ficar feliz só em saber que este dinheiro está sendo canalizado também para as chamadas bolsas sociais. Elas são importantes e não podem ser eliminadas jamais do orçamento, mas precisam de objetividade mais nítida e não podem, de maneira nenhuma, serem utilizadas como moeda de troca eleitoral. Se Dilma ganhar pelos seus méritos, que são quase nenhuns, pode-se dizer do nosso conservadorismo. Se ganhar uma proposta do passado, pode-se dizer da nossa raiva. Se ganhar uma proposta nova, diferente, pode-se dizer que somos loucos e insensatos ao acreditar no desconhecido, no inusitado. Mas o que hoje é velho e o que está posto eram os novos e inusitados do passado. O problema é que eles não corresponderam ou corresponderam apenas parcialmente. O novo sempre será salutar, até porque é uma possibilidade concreta de beirarmos aquilo que chamamos de felicidade.
.... na Bahia o Estado pensar primeiro no cidadão. Aqui, o ser humano é sempre segundo plano. As negociatas, os desejos dos poderosos, a manutenção dos privilégios estão sempre a tomar o espaço da administração pública nos três poderes. Recentemente assistimos ao escândalo do afastamento de desembargadores do TJ, de escândalos envolvendo juízes e, agora, a consequência desta política nefasta: o Tribunal de Justiça da Bahia julgou apenas 10,88% – de um passivo com 4.237 processos de corrupção envolvendo agentes públicos (Governador, prefeitos, vereadores, deputados, funcionários públicos...). Ou seja, 3.776 ficaram em aberto. O resultado só é melhor que o do Piauí. E acreditem, no Brasil, a taxa é de pouco mais de 53%. A Justiça baiana é a Idade Média da Justiça do Brasil e a Justiça brasileira é a Idade Média da Justiça europeia. Na Europa, em média, um processo contra corrupção, envolvendo tudo, até a apelação, demora cerca de 3 anos, no máximo. Aqui, o mensalão já passa dos oito e ainda não terminou. Agora, se você roubar a galinha do vizinho e for denunciado, não tendo grana para pagar advogado ou não sendo parente de gente importante, vai para a cadeia rapidinho e, quando cumprir a pena, terá um trabalhão desgraçado para sair de lá, se sobreviver! E não preciso ir muito longe para reafirmar isso: este blog é uma das vítimas desta Justiça lerda. Desde Outubro de 2011 está censurado por denunciar desvios de conduta de um agente público. Não se tem nem mesmo o direito de provar que se está certo porque os processos não andam. E estas coisas são aceitas como algo comum. Até na política, o velho PT aceitou que o governador tirasse um candidato do bolso do colete, como fez Lula, como fez o finado ACM. Silêncio total. Nenhum questionamento. Vassalagem democrática! E aqui vale também as últimas palavras ditas no parágrafo anterior. Só que na Bahia o novo chega já de meia idade. Aqui, mesclar o novo com parte do velho parece ser o nosso caminho mais próximo para a felicidade, ou para uma possibilidade dela.
.... em Heliópolis o prefeito Ildefonso Fonseca realmente colocar em prática o que disse na última reunião com os aliados. E é fácil perceber que a coisa está demorando. Ainda não entrou nos eixos. Prova são as reclamações dos moradores da Rua Francisco Claudino (Chico de Minininha), conhecida por Rua do Açude. A prefeitura fez um serviço com a máquina Patrol e o que estava ruim ficou pior. Seria até positivo vermos que o prefeito está se preocupando em consertar o que está errado, mas está nítida a falta de planejamento e de um estudo mais detalhado. Seria o caso da contratação de um engenheiro. Os agentes públicos de Heliópolis não valorizam profissionais que estudaram anos. Acham que pagar 3 ou 4 mil a um engenheiro é um absurdo, mas há secretários ganhando quase isso para não fazer nada. Fato é que a bagaceira está lá e o problema aumentou. Os moradores reclamam e os problemas precisam ser resolvidos. Poderíamos aqui culpar o operador da motoniveladora, mas todos sabemos que ele apenas seguiu ordens. Todos são testemunhas da trégua que tenho dado ao prefeito, desde que ele esteve em minha casa para tentar uma união em torno de sua administração. Estou disposto a ajudar, mas até agora não foi feito um grupo de estudos para planejar nada. Claro que sei que estão fechando o ano de 2013, mas uma coisa não invalida a outra. Já era hora de uma equipe fazer os estudos para 2014. A demora inviabiliza o novo ano que se inicia. Se 2013 não deu certo, há muito a ser feito e o tempo urge. Há demandas na área da educação, temos um concurso em andamento, há problemas seculares na área de saúde, nos outros serviços públicos etc... O tempo não para. Além disso, as vaidades, o espírito de poder, o orgulho, a falta de humildade, o medo de ser engolido pelo talento do outro, o egoísmo e a incompetência nos ajudam a ficar ainda mais longe desta tão sonhada felicidade. E para aqueles que acham que uma posição num cargo qualquer, arranjado por força da amizade ou do prestígio, é a mais pura felicidade, é bom lembrar que os felizes não são os que beijam uma única vez, mas aqueles que beijam sempre.

Feliz 2014 para todos os leitores do LANDISVALTH BLOG.

Cheio de Arte: Os Irmãos das Almas no You Tube

Cheio de Arte: Os Irmãos das Almas no You Tube: O professor Landisvalth Lima já postou no You Tube a produção em vídeo da peça de Martins Pena, Os Irmãos das Almas. Esta é a segunda v...

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Mega-Sena da Virada: R$ 224,6 milhões

As apostas, iniciadas dia 11 de novembro, arrecadaram o total de R$ 758,218 milhões
Agência Brasil
A Mega-Sena da Virada vai pagar o maior prêmio de 2013 para os acertadores das seis dezenas que serão sorteadas logo mais às 20h25, em São Paulo. Serão distribuídos R$ 224,677 milhões em prêmios, informou a Caixa Econômica Federal, depois do balanço de apostas, encerradas às 14 horas desta terça-feira (31).
As apostas para a Mega da Virada, iniciadas dia 11 de novembro, arrecadaram o total de R$ 758,218 milhões com a venda de 104.165.456 bilhetes. O prêmio fica acima da estimativa inicial de R$ 200 milhões, mas abaixo da Mega da Virada anterior, que pagou R$ 244 bilhões a três apostadores.
O prêmio da Mega da Virada não acumula. Caso não haja ganhador com as seis dezenas sorteadas, o valor será somado ao rateio dos acertadores da quina, e assim sucessivamente. O valor do prêmio da faixa principal, se aplicado na poupança, renderia cerca de R$ 1,3 milhão por mês, aproximadamente R$ 44 mil por dia, de acordo com cálculos da Caixa.
O sorteio, em estúdio de TV, a partir das 20h, terá transmissão ao vivo pelos principais canais da TV aberta. As dezenas mais sorteadas na história da Mega-Sena foram 05 (183 vezes), 04 (180 vezes) e 54 (175 vezes). Quem ganhar sozinho a bolada terá, se aplicado em caderneta de poupança, cerca de 40 mil reais por dia de rendimentos.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Época revela a divina tragédia de Belchior em 4 capítulos

Procurado pela polícia e hospedado de favor na casa de fãs, o compositor de clássicos como “Divina comédia humana” protagoniza uma história de amor e decadência
MARCELO BORTOLOTI – da revista ÉPOCA
Capítulo 1
“No trevo, a 100 por hora”
A FELICIDADE É UMA ARMA QUENTE
Belchior com a mulher, a produtora cultural Edna Prometheu. “Eles juntaram suas
 utopias”, diz o amigo José Roberto Aguilar (Foto: Bruno Alencastro/Ag. RBS)
Edna Prometheu é o pseudônimo da produtora cultural Edna Assunção de Araújo, de 46 anos. Morena, de cabelos encaracolados e baixa estatura, não é uma mulher de beleza estonteante. Militante de organizações de extrema-esquerda, é definida por seus amigos como “idealista utópica”. No começo de 2005, ela estava em São Paulo, no ateliê do artista plástico cearense Aldemir Martins, já morto, quando entrou pela porta o músico Belchior. O cantor de “Paralelas” também pinta quadros e frequenta o ambiente artístico. Edna queria organizar uma exposição de Aldemir no Ceará. Belchior disse que tinha amigos por lá, poderia ajudar. Trocaram telefones. Os dois acabaram organizando juntos a exposição em Fortaleza, naquele mesmo ano. Na volta, Edna ligou para um amigo e contou a novidade: “Estamos namorando”. A partir daí, a vida plácida de Belchior derrapou no trevo a 100 por hora, como diz a letra de “Paralelas”. Para ficar com Edna, ele abandonou a então mulher, Ângela, com quem estava casado havia 35 anos, mãe de dois dos quatro filhos que tem. Afastou-se dos amigos e foi gradativamente deixando de fazer shows, até sumir sem dar explicações, em 2009. “Essa figura nefasta está fazendo uma lavagem cerebral nele”, afirma Jackson Martins, ex-empresário de Belchior. “Depois dela, sua vida só andou para trás”, diz o artista plástico cearense Tota, amigo de Belchior.
O desaparecimento de Belchior, há cinco anos, surpreendeu a todos, família e amigos. Ninguém poderia esperar tal atitude. Ele deixou para trás a agenda de shows e todo o patrimônio, incluindo roupas, documentos, quadros, automóveis e apartamento. O sumiço transformou Belchior  em figura cult. A pergunta “onde está Belchior?” ecoou na internet e teve até repercussão internacional. Surgiram blogs sobre o tema. Campanhas nas redes sociais pediram  a volta do músico. E apareceram montagens cômicas – “memes” – em que Belchior aparece em locais inusitados como a ilha do seriado Lost. Suas músicas no YouTube, que antes tinham 5 mil acessos diários, hoje batem 500 mil. O sucesso no mundo virtual não trouxe nenhum benefício para o Belchior de carne e osso. Aos 67 anos, ele vive escondido com Edna em Porto Alegre. Não pode sair em público, pois é procurado pela polícia. Pesam contra Belchior dois mandados de prisão pelo não pagamento de pensões alimentícias. Uma devida à ex-mulher Ângela, com quem tem dois filhos já maiores de idade, e outra à mãe de uma filha de 19 anos que teve fora do casamento. Além das pensões, Belchior abandonou todos os demais compromissos e é cobrado na Justiça em processos que correm à revelia. O ex-secretário particular de Belchior, Célio Silva, ganhou um processo trabalhista contra ele no valor de R$ 1 milhão. Não há mais como recorrer. As contas de Belchior estão bloqueadas, e os imóveis que tinha comprometidos. Sem dinheiro, ele já se abrigou numa instituição de caridade no Rio Grande do Sul e morou de favor na casa de fãs que nem conhecia.
O mais intrigante na espantosa história de Belchior é que ele aparentemente não agiu movido por depressão, dívidas ou golpe publicitário, como se pensou no princípio. A influência da mulher é apontada pela maioria dos amigos como o motivo do seu comportamento. Ainda assim, não há unanimidade. “Edna não conseguiria sozinha virar a cabeça de alguém inteligente como Belchior. São dois sonhadores, juntaram suas utopias. Deixaram de acreditar neste mundo materialista, objetivo e mesquinho e partiram para um caminho de desapego”, diz o artista plástico José Roberto Aguilar, de 72 anos, amigo do casal.
Belchior nasceu numa família simples no interior do Ceará. Foi o mais bem-sucedido entre 23 irmãos. Estudou medicina na capital. Abandonou o curso depois de quatro anos, para ingressar na carreira artística. Estourou nos festivais na década de 1970 e compôs músicas com letras poderosas, como “A palo seco”. Seus sucessos foram gravados por Elis Regina, Jair Rodrigues e Roberto Carlos. Belchior é um artista com vasta cultura, domina cinco idiomas, conhece filosofia e gosta de física quântica. Até os anos 2000, lançava em média um disco por ano. “Ele era uma máquina, chegava a fazer três shows por noite. Era uma pessoa completamente dedicada à carreira”, diz o parceiro e ex-sócio Jorge Mello. Tudo isso ficou para trás. O sumiço de Belchior lembra o caso do escritor russo Liev Tolstói. Aos 82 anos, ele abandonou tudo para viver como camponês. Tolstói teve um fim trágico – morreu de pneumonia depois de viajar na terceira classe de um trem durante o inverno soviético. Belchior, quanto mais se afasta da vida em sociedade, mais se afunda em dificuldades mundanas.
Capítulo 2
“Onde nada é eterno”
Depois que conheceu Edna, Belchior percorreu uma trajetória descendente em que, aos poucos, se despojou de todos os bens e obrigações. No final de 2006, ainda com a carreira aquecida, pediu que o empresário Jackson Martins parasse de agendar novos shows. Pretendia passar um tempo se dedicando à pintura e à tradução do poema Divina comédia, de Dante Alighieri, para uma linguagem popular. No início do ano seguinte, deixou o apartamento em que vivia com Ângela, mas continuou morando em São Paulo com Edna, num flat alugado. Desde então, a família diz não ter mais notícias dele. Belchior não era um marido muito presente, ficava até dois meses sem aparecer em casa. Teve duas filhas fora do casamento. Uma delas com uma fã que morava em São Carlos, no interior de São Paulo, com quem saiu uma única vez. A outra era fruto de um caso com uma estudante de psicologia no Ceará. Belchior pagava pensão alimentícia para a primeira. A família da segunda menina, hoje com 16 anos, não o acionou na Justiça.
As complicações começaram a aparecer em 2008. Ângela cobrava na Justiça uma pensão mensal de R$ 7 mil. Belchior se recusou a pagar. Na época, deixou de pagar também a outra pensão. Seus amigos notaram uma diferença de comportamento. “Ele parecia estranho. Me ligou perguntando sobre amigos que não vemos há 30 anos, num tom de voz que não era o seu”, diz Jorge Mello. Em outubro daquele ano, abandonou um carro no estacionamento do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Belchior continuou em São Paulo até março de 2009, quando deixou o flat sem quitar os últimos meses de aluguel. Na garagem, ele largou um segundo carro, e em seu apartamento ficaram roupas, rascunhos de música, cartões de crédito e o passaporte. Belchior também abandonou tudo na casa alugada onde funcionava seu escritório: coleção de quadros, discos, documentos e o computador onde estava parte da tradução da Divina comédia, projeto que lhe consumira três anos. Seu secretário, Célio Silva, continuou abrindo o escritório, na esperança de que retornasse.
Belchior viajara com Edna para o Uruguai, onde descansava num vilarejo. Foi processado por Célio e por todos os credores que ficaram em São Paulo. Não se defendeu. Foi representado por defensores públicos até nos processos de pensão alimentícia. Como consequência, suas contas foram bloqueadas, e apareceram dois mandados de prisão contra ele, já que não pagar pensão é um crime passível de cadeia. “Como não tive contato com ele, a defesa ficou restrita a questões formais”, diz a defensora Claudia Tannuri, escolhida para defendê-lo no processo movido pela ex-mulher Ângela. Belchior nem sequer se importou com o destino de seus pertences. As roupas que estavam no flat foram doadas à caridade. A filha mais velha recolheu os documentos. Os carros foram levados para depósitos públicos. A dívida com os estacionamentos já ultrapassava seu valor. O proprietário do imóvel onde funcionava o escritório lacrou o lugar e recolheu os pertences. Seus quadros se perderam com a umidade.
Como na música “Divina comédia humana”, “em que nada é eterno”, Belchior e Edna perambularam durante todo esse período de hotel em hotel – várias vezes, sem pagar a conta. Amigos culpam Edna pela iniciativa. O primeiro hotel em que isso aconteceu foi o Gran Marquise, em Fortaleza. Os dois ficaram hospedados ali ainda em 2006. Saíram sem pagar dois meses de estadia, no valor de R$ 8 mil. Depois, repetiram a prática em pelo menos quatro locais. No Icaraí Praia Hotel, em Niterói, deixaram uma conta de R$ 4 mil. “Alguns funcionários tiveram de arcar com parte da dívida, já que permitiram que ele ficasse hospedado mais de uma semana sem pagar a conta”, diz o atual gerente, Germano Lopes. No Royal Jardins Boutique, em São Paulo, a conta pendurada foi de R$ 12 mil. “Eles deixaram um cheque caução, mas não tinha fundos”, diz Elly Shimasaki, gerente na ocasião. O caso mais recente foi no hotel Cassino, na cidade de Artigas, no Uruguai, onde o casal se hospedou entre julho de 2011 e novembro de 2012. Os últimos meses ficaram sem pagamento, restando uma dívida de R$ 35 mil. Lá, Belchior deixou para trás roupas e um laptop.  “É uma lástima que um artista brasileiro dessa importância tenha agido assim”, diz o gerente uruguaio Ricardo Rodrigues. O hotel entrou com uma queixa criminal contra o casal.
Capítulo 3
“Sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco”
CANTOR EM FUGA
À esq., com o advogado Jorge Cabral, que hospedou Belchior em seu sítio em 
Guaíba, Rio Grande do Sul. Acima, à direita, na União Brasileira de Compositores,
 abaixo, em um hotel no Uruguai, de onde saiu sem pagar a conta 
(Foto: Reprodução e arq. pessoal)
Nos últimos anos, Belchior se manteve à distância de qualquer atividade remunerada. Em 2009, quando o desaparecimento ganhou repercussão nacional, a montadora General Motors ofereceu um cachê milionário para ele aparecer num comercial. Belchior deveria dizer que, com o novo carro da GM, até ele voltava. Belchior recusou o convite e ficou bastante chateado com o teor da proposta. O empresário Jackson Martins diz que recebe constantes pedidos para shows, mas não consegue localizá-lo desde 2007. “Pago as dívidas dele se ele voltar”, diz. Outro empresário que trabalhou com Belchior por quase 30 anos, Hélio Rodrigues, diz que o desaparecimento fez aumentar o interesse do público. “Depois do escândalo, ele consegue lotar qualquer casa de espetáculo. Com dois shows em São Paulo, eliminaria as dívidas”, diz.
Hoje, a maior pendência de Belchior é o processo trabalhista ganho pelo secretário Célio, no valor de R$ 1 milhão. A causa está julgada. Um apartamento de propriedade do músico em São Paulo está em execução. A dívida da pensão para a ex-mulher Ângela soma cerca de R$ 300 mil. Mas cresce a cada dia, já que Belchior continua obrigado a pagar R$ 7 mil por mês. “O sumiço só agravou a situação dele. Se não tem dinheiro, deveria enfrentar juridicamente o processo, argumentando que não pode pagar”, diz Paulo Sato, advogado de Ângela. A pensão atrasada da filha que mora em São Carlos gira em torno de R$ 90 mil. As dívidas com hotéis cobradas na Justiça somam R$ 47 mil. Não são impagáveis, desde que Belchior volte a se apresentar. A derradeira fonte de renda de Belchior eram os direitos autorais de suas músicas. Segundo o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), nos últimos cinco anos foram depositados R$ 367 mil referentes à execução pública de suas obras. Parte do dinheiro ficou retida quando as contas bancárias foram bloqueadas. Desde então, Belchior não contou com nenhum outro tipo de renda.
Capítulo 4
“Saia do meu caminho, eu prefiro andar sozinho”
Em janeiro deste ano, Edna e Belchior procuraram a Defensoria Pública em Porto Alegre. A história ganhou ingredientes ainda mais estranhos. Os dois alegavam que o bloqueio das contas e os mandados de prisão impediam que ele trabalhasse e voltasse a ganhar dinheiro para pagar as dívidas. Belchior aparentemente estava disposto a voltar. Mas o comportamento do casal era confuso. Edna falava desbragadamente, enquanto Belchior ficava quase sempre calado. “Durante um mês, me informei sobre os processos que tramitam em São Paulo. Fizemos um pedido judicial para a suspensão da execução, até que ele conseguisse se restabelecer. Nesse meio-tempo, Belchior sumiu”, diz a defensora pública Luciana Kern, que o atendeu.
Nesse mesmo período, Edna ligou para o jornalista gaúcho Juremir Machado, que não conhecia. Disse que Belchior estava escondido na cidade e precisava de ajuda. Ela queria que Juremir os levasse à sede regional da TV Record para fazer uma denúncia delirante. Juremir notou algo de incomum no casal. Eles se escondiam atrás de pilastras e ficavam olhando a movimentação nas ruas antes de entrar em algum lugar, como se fossem seguidos. Na retransmissora da TV, Edna afirmou ter um dossiê contra a TV Globo. O programa Fantástico noticiara o desaparecimento de Belchior em 2009 e a fuga do hotel uruguaio, em 2012. “Ela dizia que Belchior era difamado pela Globo e queria justiça. Falou até que havia uma tentativa de matá-lo”, diz a jornalista Vânia Lain, que recebeu os dois. Eles disseram que voltariam na semana seguinte trazendo os documentos, mas desapareceram.
Em Porto Alegre, Belchior e Edna ficaram inicialmente hospedados num hotel simples no centro, pago com ajuda dos funcionários do Tribunal de Justiça, primeira porta em que o casal bateu quando chegou à capital gaúcha. Depois, foram abrigados no Centro Infantojuvenil Luiz Itamar, instituição de caridade na região metropolitana. Dali, foram levados ao advogado Aramis Nacif, ex-desembargador do Estado, que poderia ajudar Belchior com os processos. “Ele dizia que um agente apareceria, mas nunca apareceu”, diz Nacif. Durante um mês, o casal ficou abrigado na casa de praia do filho dele. “Eles não tinham dinheiro algum. Edna apresentava um sentimento de perseguição muito grande, parecia ter algum distúrbio psicológico”, diz. Foi nesse momento que Belchior conheceu o advogado Jorge Cabral, na casa de quem se hospedou por quatro meses. Cabral tomou um susto ao perceber que um músico importante como Belchior estava ali. E os convidou para ir a um sítio de sua propriedade, em Guaíba, local mais agradável. Belchior e Edna continuavam sem dinheiro. Nesse período, o advogado levou mantimentos, roupas, itens de higiene pessoal e até tintura para Belchior pintar os bigodes de preto.
No sítio de Cabral, Belchior não bebia nem comia carne vermelha. Passava os dias tomando chá, caminhando e cuidando das ovelhas. Fazia muitas anotações em papéis, que escondia numa pasta. Durante esse período, gastou duas canetas inteiras. Leu cerca de 40 livros. Não apresentava sinais de depressão. Parecia, segundo Cabral, alheio aos problemas que o cercavam. “Eu imaginava que ele era apenas um compositor nordestino, mas encontrei um artista plástico, um pensador, um filósofo”, diz Cabral. Ele pretende escrever um livro sobre a experiência. Belchior só não gostava de falar sobre sua situação. Recusava-se a tocar violão e cantar. Edna impedia que ele fosse fotografado. O casal também não tomava nenhuma providência para resolver os problemas jurídicos. “A gente esperava que a situação se resolvesse, mas não acontecia nada. E aquilo não condizia com um homem lúcido, com memória fantástica, que fala várias línguas e tem uma quantidade enorme de músicas gravadas”, diz Jorge Cabral. 
“Esse tempo que ele falou que daria na carreira já está longo demais. Só queremos notícias dele”, diz a irmã, Ângela Belchior. Belchior não apareceu nem no enterro da mãe, que morreu em 2011. Por telefone, a ex-mulher Ângela soa reticente. Não gosta de falar sobre um assunto tão delicado com a imprensa. Ela conta que, desde 2007, Belchior não entra em contato nem com os filhos. “Não entendo. Os empresários dele não entendem”, diz. Em julho deste ano, Cabral pediu que o casal saísse, dado que Belchior e Edna não davam sinal de acabar com aquela situação de total dependência. Ele os deixou na porta da sede regional da União Brasileira de Compositores, com R$ 50 no bolso. Na União, Belchior tentou desbloquear o pagamento de seus direitos autorais, comprometido pelos processos na Justiça. Não conseguiu. Belchior foi visto pela última vez na entrada do prédio, um edifício moderno num bairro de classe média de Porto Alegre, em frente a uma avenida bastante movimentada. Carregava uma pequena mala nas mãos e material de pintura debaixo do braço. Belchior – na belíssima letra de “Comentário a respeito de John”, ele cantava “eu prefiro andar sozinho” – estava, como sempre, ao lado de Edna.

Você acha que paga muito Imposto de Renda? Vai piorar!

Nova tabela do IR reduz poder de compra do trabalhador. Este é o 18º ano seguido que a tabela sofre reajuste abaixo da inflação no país
Começa a valer a partir de 1º de janeiro de 2014 a nova tabela do Imposto de Renda deduzido na fonte. Os valores foram corrigidos em 4,5% em relação aos de 2013. Este é o 18º ano seguido que a tabela sofre reajuste abaixo da inflação no país, o que prejudica o poder de compra dos trabalhadores. A defasagem no período chega a 66%. Em dezembro, o IPCA-15 -prévia da inflação oficial no país- mostrou que a alta acumulada deve ficar em torno de 5,85% em 2013. O valor é bem superior ao centro da meta de inflação estipulada pelo governo, de 4,5%, que é usada como referência para o reajuste da tabela do IR na fonte. Os preços, no entanto, têm subido mais do que esse patamar desde 2010. E, para 2014, as projeções se mantêm elevadas. Segundo o último relatório Focus, do Banco Central, o mercado espera aumento de 5,97% para a inflação no próximo ano.
Na prática, a correção percentual da tabela do IR menor do que o avanço do índice oficial de preços faz com que a inflação sirva de instrumento para ampliar a imensa carga tributária no Brasil. Por conta disso, o Sindifisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal) quer apresentar um projeto de lei que pretende diminuir a diferença entre a correção da tabela do IR e a inflação dos últimos anos. “Já temos apoio de quatro deputados que levarão o projeto à votação em 2014”, diz Pedro Delarue, presidente do Sindifisco. De acordo com João Carlos Gonçalves, secretário-geral da Força Sindical, a entidade também vai manter seus esforços em 2014 para que o governo adote uma nova fórmula de correção.
Mudanças
De acordo com a nova tabela do IR, ficam isentos do pagamento os trabalhadores que recebem até R$ 1.787,77 mensais -atualmente ficam liberados da cobrança quem ganha até R$ 1.710,78. Confira a tabela abaixo.
Base de cálculo mensal - em R$
Alíquota -  em %
Parcela a deduzir do imposto -  em R$
Até 1.787,77
Isento
 -
De 1.787,78 a 2.679,29
7,5
134,08
De 2.679,30 a 3.572,43
15
335,03
De 3.572,44 a 4.463,81
22,5
602,96
Acima de 4.463,81
27,5
826,15

 Informações da FOLHAPRESS, via CORREIO.