Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Novidade

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Para que serve o CFM se temos o Padilha?

Alexandre Padilha diz que se consultaria com médico reprovado no Revalida.
(foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil)  
Não sei por que motivo temos tantas instituições neste país, se elas não servem para nada. Pelo menos foi isso que deu a entender o ministro Alexandre Padilha (Saúde). Ele defendeu nesta sexta-feira (1º) os médicos reprovados no Revalida, exame federal para reconhecer o diploma de medicina obtido no exterior, e que atuam no Mais Médicos. A afirmação do ministro desqualifica o Revalida e a instituição Conselho Federal de Medicina. E isso aconteceu com apenas 48 dos 681 profissionais que vieram para o país, numa média muito boa de revalidação.
A Folha revelou que um grupo de 48 profissionais do Mais Médicos foi reprovado no exame. Padilha afirmou que os profissionais reprovados no Revalida podem fazer os atendimentos do Mais Médicos. "Eu me consultaria sem nenhum problema", disse. Segundo o ministro, a atuação no Mais Médicos é diferente das exigências do Revalida. "Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Os médicos do Mais Médicos estão aqui para cuidar da atenção básica. O Revalida é para quem quer operar, quem quer fazer procedimentos de alta complexidade", disse. Padilha citou como exemplo a Austrália, cujo programa de atração de médicos, segundo ele, tem uma proposta similar, onde médicos estrangeiros têm um registro para trabalhar na atenção básica. Se desejarem fazer outros procedimentos, devem buscar o registro completo. Padilha considerou o programa um sucesso, desconversou ao ser perguntado sobre as críticas e disse que tem escutado muito mais elogios. "O programa recebe muito mais elogios do que críticas. Quando eu viajo, a população diz que está muito satisfeita."
Em nota, o CFM (Conselho Federal de Medicina) defendeu a exigência do Revalida no Mais Médicos. "Oferecer indivíduo com perfil distinto é iludir os moradores das áreas mais carentes, pois se houver um caso grave esse médico de segunda linha terá dificuldades em agir, podendo, inclusive, causar até danos maiores", afirmou o presidente do CFM, Roberto Luiz d'Avila. Os 48 médicos reprovados estão entre os 681 selecionados para a primeira rodada do programa, criado pelo governo federal para enviar médicos para atuar na atenção básica prioritariamente no interior do país. No total, 1.440 candidatos formados no exterior não passaram para a segunda fase do Revalida. Além do exame, os médicos formados no exterior podem tentar validar o diploma em universidades que tenham um processo próprio de validação do documento. 
O ministro precisa afastar a preocupação com o fracasso do programa federal. Ele não vai resolver o problema do país na área da saúde. O que Padilha precisa fazer é estruturar o país para receber todos os médicos que foram aprovados no Revalida e não pregar a aprovação automática de todos. Ele diz que se consultaria com um reprovado, mas todos sabem que é mentira. O ministro tem seu espaço reservado no Sírio-libanês. Ele não irá para a fila do SUS aguardar um exame marcado para daqui a três meses. Ademais, duvidar das instituições nacionais, sendo inclusive um profissional da própria área, é colocar na cabeça do povo que nada aqui é confiável. O que não está funcionando adequadamente no país é a sistema de saúde nosso de cada dia, administrado pelo digníssimo ministro. O CFM tem dado o seu recado satisfatoriamente. Deixa o populismo de lado, Ministro!

O Brasil descendo a ladeira - 1ª parte

Mais de 60% das rodovias apresentam problemas, aponta Pesquisa CNT de Rodovias 2013
Presidente da CNT, senador Clésio Andrade, afirma que excesso de burocracia e falta de capacidade gerencial do governo dificultam investimentos no setor.
Um país que pretende se manter entre as dez maiores
potências do globo não pode ter rodovias assim.
Divulgada nesta quinta-feira (31), a Pesquisa CNT de Rodovias 2013 aponta que piorou o estado das rodovias brasileiras no último ano. Segundo o levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT), 63,8% da extensão avaliada apresenta problemas ligados a três itens considerados fundamentais: pavimento, sinalização e geometria da via. Em 2012, o percentual era de 62,7%.
A CNT percorreu 96.714 km de rodovias, o equivalente a toda a malha federal pavimentada e às principais rodovias estaduais. Em relação ao pavimento, foi avaliado se as vias atendem a atributos como capacidade de suportar efeitos do mau tempo e estrutura forte para resistir ao desgaste e permitir o escoamento das águas (drenagem). Resultado: 46,9% do total avaliado apresenta deficiência.
Sobre a sinalização, essencial para garantir a segurança dos usuários das vias, a pesquisa indica 67,3% da extensão pesquisa apresenta problemas. O resultado é preocupante porque os sinais de trânsito têm a finalidade essencial de transmitir aos motoristas informações e instruções para garantir a movimentação correta e segura dos veículos.
Os dados sobre geometria das vias também preocupam – 77,9% não está em padrões satisfatórios. As características geométricas da via afetam a habilidade do motoristas em manter o controle do veículo e identificar situações e características perigosas. A implantação de projetos geométricos inadequados limita a capacidade de tráfego, aumenta custos operacionais e pode causar acidentes.
O presidente da CNT, senador Clésio Andrade, destaca que os números mostram a necessidade urgente de aumentar os investimentos nas rodovias brasileiras, principalmente em duplicação. “O governo tem uma dificuldade gerencial. Muitos projetos não saem do papel. Há um excesso de burocracia. Os investimentos precisam ser ampliados para que o Brasil melhore a sua competitividade”, afirma.
Falta investimento
Clésio Andrade destaca que, do total autorizado pelo governo para as rodovias em 2013 (R$ 12,7 bilhões), apenas 33,2% - o equivalente a R$ 4,2 bilhões - foram pagos até o início de outubro. Em 2012, foram pagos R$ 9,4 bilhões (50,3%) do total autorizado, R$ 18,7 bilhões. A CNT estima que o investimento mínimo necessário para melhorar a infraestrutura das rodovias é de R$ 355,2 bilhões.
O presidente da CNT pontua que esta falta de investimentos é uma situação comum nos últimos anos. Segundo Clésio Andrade, o governo não consegue investe de forma eficiente porque tem um grave problema gerencial. Apesar de reconhecer a importância de alocar os recursos, não consegue destravá-los. “A Pesquisa de Rodovias é uma ferramenta para incentivar políticas públicas que garantam um transporte de maior qualidade”, explica.
As rodovias concessionadas são as mais bem avaliadas pela Pesquisa da CNT. Em relação ao estado geral - 84,4% foram classificadas como ótimas ou boas. Apenas 15,6% ficaram no patamar de regular, ruim ou péssimo. A situação se inverte quando são analisadas as rodovias sob gestão pública – 26,7% têm condições ótimas ou boas e 73,3% não estão em condições satisfatórias.
Custo operacional
Rodovias em precário estado de conservação aumentam o curso operacional do transporte. De acordo com o levantamento da CNT, as condições do pavimento geram um aumento médio, no país, de 25% no custo operacional do transportador. A região que apresenta o maior incremento nestes valores é a Norte (39,5%), seguida pelo Centro-oeste (26,8%), Nordeste (25,5%) e Sudeste (21,5%). O menor acréscimo é registrado no Sul (19%). 
Outro destaque da Pesquisa são dados ligados ao Meio Ambiente. Rodovias com pavimento adequado proporcionam uma economia de até 5% no consumo de combustível. Se for considerado o consumo de óleo diesel no Brasil, em 2013, seria possível uma economia de R$ 661 milhões de litros (R$ 1,3 bilhão) e uma redução da emissão de 1,7 megatonelada de gás carbônico, principal gás causador do efeito estufa.

Nepotismo: só em Heliópolis pode!

O prefeito Ildinho mantém o filho como secretário
A prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim de Almeida Pena, tem até a próxima segunda-feira (4), para exonerar sua irmã, Ralison Valentim de Jesus, do cargo de secretária especial de Acompanhamento de Gestão da cidade. A saída de Ralison foi uma recomendação feita pelo Ministério Público estadual (MP-BA). De acordo com a promotora Karinny Guedes, autora da orientação, a admissão da irmã da gestora caracteriza a prática de nepotismo. O MP-BA notificou Rilza no dia 24 de outubro. Ela deve enviar para o órgão até segunda uma cópia do ato de desligamento da irmã. Caso não o faça, a prefeita poderá ser responsabilizada civil e administrativamente. Se configura como nepotismo no âmbito municipal o exercício de cargos de organização política por cônjuges, companheiros ou parentes em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, de prefeito; vice-prefeito; secretários municipais, dirigentes de autarquias, fundações, empresas públicas e outros entes da administração pública indireta; e de membros da Câmara de Vereadores. Por que a Lei por aqui nunca é cumprida? Então só pode em Heliópolis, Ildinho? Todos sabem que Beto Fonseca é filho de prefeito e está secretário de administração e finanças. Só aqui pode? E dr. Hugo Casciano, Promotor, o que diz disso?

Informações: Bahia Notícias. 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A saúde de Heliópolis, os “prefeitinhos” e o “prefeitão”

                   Landisvalth Lima
O prefeito Idelfonso Andrade Fonseca não pode se queixar do povo de Heliópolis. Além de permitir a ele governar esta cidade pelos próximos quatro anos, ainda está tendo uma paciência generosa com o alcaide. Completamos 300 dias de administração, o que ainda não posso chamar de governo. Governar é dividir tarefas, estabelecer metas, fazer evoluir o município. A única coisa que evoluiu em Heliópolis nestes dez meses foi o patrimônio dos “prefeitinhos”, que não foram eleitos para isso. Ou melhor, nunca foram eleitos para nada. Além dos problemas relatados neste blog, uma área parece que vai tirar o sossego de Ildinho mais cedo do que se imagina: a saúde.
Não adiantará esperar pelos médicos cubanos. Claro que precisamos de médicos. Todos serão bem-vindos. Ocorre que não há estrutura. Onde resolveremos os problemas dos que precisam de hemodiálise, dos que necessitam de cirurgias, dos que são cancerígenos, dos renais crônicos, dos que necessitam atendimento de urgência? Aqui? Nem pensar. Já navegam pelas redes sociais casos de pessoas aguardando um simples transporte para Aracaju há dois meses e não conseguem. Há casos de pacientes que tiveram consultas marcadas e não puderam chegar a tempo por falta de transporte. E o transporte é por conta do município. Ou seja, Heliópolis não está fazendo sua parte. E nós elegemos um prefeito para fazer funcionar, pelo menos aquilo que é tarefa do município.
Relato aqui o caso do personagem Zequinha. Ele usa marca-passo e precisou trocar na última sexta-feira(25). Todos sabem que ele não possui as mínimas condições. Somente na quinta-feira pela noite foi comunicado que não haveria transporte para Aracaju no dia seguinte. O procedimento já estava marcado e não era possível adiar. Faltou apenas transporte. A vereadora Ana Dalva resolveu a questão e parte da viagem o paciente teve que fazer em transporte alternativo. Qual o motivo de tanto sofrimento? Desorganização, falta de planejamento. E não me venham aqui dizer que a culpa é do secretário de saúde. Também não adianta demitir o secretário. Nenhum outro faria melhor porque o problema é de gestão. Não havia efetivamente carros e o secretário não iria, porque não é sua obrigação, pagar do próprio bolso.
O leitor mais revoltado poderia dizer que a culpa é dos dois “prefeitinhos”, que continuam fazendo das suas e atrapalhando o “prefeitão”. Não é verdade. Ildefonso Andrade Fonseca foi eleito prefeito e não quer assumir o mandato. Preferiu entregá-lo aos seus pupilos de confiança. Ele só aparece na prefeitura para assinar papeis. É o prefeito de direito e não de fato. Quando ele me ofereceu em sua casa o cargo de secretário de educação, eu ofereci a ele ajudar sua administração sem precisar assumir cargos. Ana Dalva vive batendo na mesma tecla o tempo todo, que está disponível para ajudar no que for preciso, e nem mesmo convidada para reuniões administrativas ou políticas ela foi. Dizem até que ele a considera de oposição. Para ser justo, nem mesmo os vereadores da oposição estão azedando o caldo. Digo, verdadeiramente, que estão colaborando com a administração como nunca se viu antes em Heliópolis.
Se é assim, por que se renega tanta ajuda? Vou mais além: por que Gama Neves foi completamente afastado da prefeitura? Quais os males que Gama fez a Ildinho até hoje? É fato que o que Gama fez, se errado ou certo, foi para beneficiar o grupo vencedor das eleições. Por que afastaram o vice-prefeito? Que poder Gama tem para prejudicar Ildinho, numa atuação político-administrativa na prefeitura? Este blogueiro, Ana Dalva, Gama Neves e até os vereadores da oposição querem o melhor para Heliópolis. Todos temos interesses políticos, mas eles não podem e não devem estar acima dos interesses do povo. É preciso saber separar a política administrativa da política partidária. Já pedimos várias vezes uma reunião com todos os que apoiaram o prefeito para corrigir rumos, mas parece que estão brincando com coisa séria.
Pior é saber que continuam fazendo as mesmas coisas. Reclamam deste blog quando denunciamos os erros e acham que temos a obrigação da prática do puxa-saquismo. Continuam pagando fornecedores e prestadores de serviços em pontas de rua e ninguém assina nada. Ninguém pode sequer comprovar que prestou o serviço. E continuam os descontos para o Senhor 20%. Esses pagamentos são ilegais e todos sabem disso. Quem recebe não quer denunciar para não perder e assim caminharemos na marcha de ilegalidade, como caminham os chefões do jogo do bicho. Será que eles não imaginam que os vereadores da oposição, se quisessem dar dores de cabeça ao prefeito, já não o tinham feito? Os “prefeitinhos” estão tão certos da impunidade que deixam rastros visíveis a olho nu. Criança se engasga até com água. 
Então o que está ocorrendo com a saúde é fruto da administração que Ildinho ainda não assumiu. Gostaríamos que ele se dedicasse com afinco, como ele consegue fazer ficando horas e horas numa mesa de jogo. Que ele comece a reunir seus apoiadores e sente para planejar um governo sério, aberto, democrático, lícito. Quando um governo assim funciona, até na hora de dizer “não” todos respeitam. Sim, porque todos nós sabemos que a prefeitura não vai resolver todos os problemas, mas ela precisa urgentemente parar de resolver só os problemas pessoais e particulares de alguns eleitos e de uns poucos não-eleitos. E é bom alertar porque tem gente que só está esperando o primeiro cadáver fruto da falta de atendimento na saúde pública de Heliópolis. Aí, o Ministério Público vai ter que entrar na área e o senhor prefeito de direito vai sentir o que é ter povo, aliados, opositores e a Lei contra ele. O povo já o abandonou, mas povo bem tratado é picolé de frutas, sem aquele palito.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Reservatórios sem água ameaçam abastecimento em cinco estados do Nordeste

                    Carlos Madeiro - do UOL, em Maceió  
Seca se prolonga e reservatórios estão secando
(foto: Cgdefato)
O prolongamento da estiagem no Nordeste deixou a maioria dos reservatórios de água em situação crítica e ameaça o abastecimento dos moradores de algumas cidades da região nos próximos meses. A falta de acúmulo de água pelas poucas chuva é apontada por especialistas como um dos principais problemas a média prazo causados pela seca que atinge a região desde o final de 2011. A atual estiagem, segundo o governo, foi responsável pela morte de 4 milhões de animais somente em 2012. A situação das barragens e açudes de abastecimento é preocupante em pelo menos cinco Estados, segundo dados colhidos pelo UOL com os institutos de recursos hídricos e meio ambiente. Ao todo, oito dos nove Estados do Nordeste estão em área do semiárido -- só o Maranhão está fora-- e sofrem com a seca. "Em 2013, por exemplo, a região enfrenta a maior seca dos últimos 50 anos, com mais de 1.400 municípios afetados", disse o meteorologista Humberto Barbosa, da Universidade Federal de Alagoas.
Problemas em cinco Estados
Em Pernambuco, 36 dos 107 reservatórios estão em colapso, com menos de 10% da capacidade. Desses, 21 estão sem nenhuma gota de água e comprometem o abastecimento de. Um deles é o segundo maior reservatório, o de Entremontes, em Parnamirim, que está completamente vazio. A Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento) informou que 25 cidades enfrentam problemas de abastecimento atualmente, sendo 13 delas em colapso completo. No Ceará a situação é crítica em mais da metade dos reservatórios. Apenas um dos reservatórios –o do Gavião-- tem mais de 80% da capacidade, mas que fica localizado próximo ao litoral. Mais de 20 estão com menos de 10% do volume total. No Sertão de Cratéus, as barragens estão praticamente secas. Na região, os 10 açudes estão com menos de 15 da capacidade. Os dois maiores –de Barra Velha e Realejo-- estão com menos de 12% do volume máximo total. Por conta da falta de água, as cidades de Crateús, Novo Oriente e Quiterianópolis entraram em uma verdadeira disputa pela água do açude Flor do Campo.  Em julho, as comportas foram abertas e, mesmo com os protestos, os municípios passaram a dividir a água. A Cagece  (Companhia de Água e Esgoto do Ceará) afirmou ao UOL que cerca de 20 cidades estão passando por racionamento por conta da estiagem --18 cidades delas com fonte hídrica principal muito abaixo da média. No Rio Grande do Norte, os reservatórios estão com menos de 40% da capacidade total de acumulação de água. Segundo dados desta sexta-feira (25), da capacidade de 4,9 bilhões de litros, os reservatórios estão com apenas 1,9 bilhão. A situação é mais crítica em algumas regiões do sertão. O maior reservatório, o Engenheiro Armando Gonçalves, em Assu, dos 2,4 bilhões, o volume atual é de 934 mil-- 39% da capacidade. Há casos de reservatórios vazios, como o de Pilões. A situação também preocupa na Bahia, segundo o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Com exceção da região do recôncavo norte, onde as barragens apresentam bons índices, a maioria dos reservatórios está com situação crítica, abaixo da metade do máximo. A região do São Francisco é uma das mais afetadas. O maior reservatório, a barragem de Sobradinho, por exemplo, está operando com 1/3 apenas do volume operacional. Segundo a Embasa (Empresa Baiana de Saneamento), dos 364 municípios baianos atendidos pela Embasa, apenas 16 estão em racionamento de água. Na Paraíba, dos 121 reservatórios, 56 estão em situação crítica com menos de 20% da capacidade total de água. O açude Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, o quarto maior do Estado, é um dos exemplos: dos 255 milhões de litros de capacidade, o volume atual está em apenas 34 milhões –13,5% do total. Segundo a Cagepa (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba), oito municípios e quatro distritos estão em colapso de abastecimento. Além deles, 20 sedes municipais e sete distritos estão enfrentando racionamento.
Três menos afetados
Em Sergipe, segundo o diretor de Operações da Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe), Silvio Múcio, em Sergipe, nos 71 municípios onde o abastecimento de água é operado pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) não há problema de desabastecimento. A empresa é responsável por operar a recém-construída barragem do Poxim, que está com a capacidade máxima alcançada –o que dá para garantir a segurança hídrica de cidades da região metropolitana de Aracaju durante todo o ano. Em Alagoas, das 75 cidades atendidas pela Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas), 32 estão em rodízio. Porém, segundo o superintendente de Negócios do Interior, Antônio Fernando, nenhum enfrenta colapso e boa parte dos que enfrenta racionamento não foi afetado diretamente pela seca. "Nós já temos vários casos que as cidades já trabalhavam com rodízio por deficiência de sistemas, independente da chuva. É o caso do sertão, da bacia leiteira, que têm a água do São Francisco, mas não têm sistemas de adutoras suficientes", explicou. No Estado do Piauí, apenas cinco municípios pela Agepisa (Águas e Esgotos do Piauí) estão com dificuldades no abastecimento. Em Parnaguá, a lagoa onde era feita a captação está com o nível muito baixo, e a água não pode ser mais utilizada para abastecimento humano. Já em Cristalândia, o rio Palmeiras secou e não há mais onde a Agespisa fazer a captação de água. Em Fartura o açude da cidade secou. Em Alto Longá e Barro Duro, os poços estão com vazões baixas ou secos.

domingo, 27 de outubro de 2013

Programação de cinema em Heliópolis sofre alteração

Deus e o diabo na terra do sol - de Glauber Rocha
CINECLUBE FILHOS DO SOL - PONTO DE LEITURA ANTONIO RIBEIRO DA GRAÇA  - ARCA DAS LETRAS MARIA FERREIRA DE ANDRADE e PONTO DE LEITURA DA VIUVEIRA
APRESENTAM:
PANORAMA INTERNACIONAL DE COISAS DE CINEMA POR UMA CULTURA INCLUSIVA

PROGRAMAÇÃO:

DATA: 31 de outubro:

Escola Marcelino Borges
Local: Povoado Tijuco
Oficinas- coisas de cinema com RITA PINHEIRO  e exibição de filmes
Público alvo: Crianças e professores
Horário: das 8 às 11:30

Comunidade: Viuveira
Oficinas de movimentos culturais com RITA PINHEIRO
Horário: Das 13:30 as 17:30
As 19h00min- Exibição de filmes e apresentação dos resultados das oficinas.

Dia 01 de novembro:

Comunidade: Massaranduba – Manhã
Oficinas com crianças jovens e adolescentes com RITA PINHEIRO
Horário: 8 a 11:30
Tarde-
Oficinas com a terceira idade com RITA PINHEIRO e exibição de filmes
Horário: 13:00 as 16:30

Comunidade Serra dos Correias
Hora: 19 a 22 horas
Exibição de filmes e shows culturais- PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE RITA PINHEIRO

Dia 02 de novembro:

Comunidade Tijuco 
Oficinas  com a comunidade com RITA PINHEIRO
Horário: 8:00 as 11:00  e  das 14:00hs 16:00
19:00- horas apresentação dos resultados das oficinas e exibição de filmes

Dia 03 de novembro:

Comunidade Massaranduba
Exibição de filme na Sala de leitura Maria Pereira
Hora: 19 horas

Dia 04 de Novembro:

Exibição de filmes
Comunidade: Massaranduba
Local- Praça da comunidade
Dia 05 de novembro:

Comunidade-: Bairro Santos Dummont – em Heliópolis
19: 00hs Exibição de filmes

Dia 06 de novembro:

Local: casa de Dona Maria
Cinema no Terreiro de casa
19:00h exibição de filme

Dia 07 de novembro:

Comunidade Galinha Morta
19:00 exibição de filmes

Entrada franca
ORGANIZADORES: José Pereira, José Milton Vital de Castro, Professor Gilberto Jacob, Magnólia Evangelista, grupo Estrela do Arrocha e  Raimundo de Benevides.
Apoio
Associação dos Artesãos da Viuveira
Associação Comunitária Cidadania de Massaranduba
Prefeito Ildefonso Fonseca
Colégio Estadual José Dantas de Souza.

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE RITA DE CASSIA PINHEIRO - PRODUTORA CULTURAL E PROFESSORA DA CIDADE DE SALVADOR-BA.

Confira o gabarito extraoficial do Enem no domingo

     
Professores especialistas apontam o provável gabarito das provas deste domingo do Enem 2013.





Domingo - Dia 2 – Prova Rosa

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

91 C (INGLÊS) - B (ESPANHOL) 100 C 109 B 118 B 127 E

92 C (INGLÊS) - E (ESPANHOL) 101 C 110 D 119 C 128 D

93 B (INGLÊS) - A (ESPANHOL) 102 E 111 D 120 B 129 E

94 C (INGLÊS) - C (ESPANHOL) 103 E 112 B 121 C 130 B

95 A (INGLÊS) - D (ESPANHOL) 104 C 113 D 122 A 131 B

96 A 105 E 114 E 123 A 132 E

97 E 106 D 115 A 124 D 133 C

98 A 107 D 116 C 125 B 134 D

99 C 108 A 117 E 126 E 135 A

Matemática e suas Tecnologias

136 C 145 C 154 C 163 A 172 E

137 D 146 C 155 D 164 C 173 D

138 D 147 A 156 E 165 C 174 B

139 A 148 A 157 E 166 A 175 A

140 E 149 B 158 E 167 A 176 C

141 C 150 D 159 D 168 B 177 B

142 B 151 C 160 B 169 B 178 D

143 E 152 E 161 E 170 E 179 A

144 D 153 D 162 B 171 A 180 D

Domingo - Dia 2 – Prova Azul

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

91 A (INGLÊS) - C (ESPANHOL) 100 D 109 C 118 D 127 C

92 B (INGLÊS) - D (ESPANHOL) 101 E 110 E 119 A 128 D

93 C (INGLÊS) - A (ESPANHOL) 102 C 111 B 120 B 129 A

94 C (INGLÊS) - E (ESPANHOL) 103 E 112 C 121 E 130 E

95 C (INGLÊS) - B (ESPANHOL) 104 D 113 B 122 D 131 A

96 A 105 B 114 C 123 E 132 C

97 D 106 E 115 A 124 C 133 B

98 D 107 E 116 A 125 C 134 B

99 B 108 A 117 D 126 E 135 E

Matemática e suas Tecnologias

136 E 145 A 154 B 163 E 172 D

137 B 146 A 155 C 164 E 173 A

138 A 147 C 156 A 165 A 174 D

139 C 148 D 157 A 166 E 175 E

140 D 149 D 158 B 167 D 176 D

141 C 150 A 159 B 168 B 177 C

142 D 151 E 160 B 169 A 178 E

143 E 152 E 161 D 170 C 179 C

144 C 153 D 162 C 171 B 180 B

Domingo - Dia 2 – Prova Amarela

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

91 C (INGLÊS) - E (ESPANHOL) 100 E 109 C 118 D 127 C

92 C (INGLÊS) - A (ESPANHOL) 101 A 110 B 119 A 128 D

93 A (INGLÊS) - B (ESPANHOL) 102 C 111 C 120 B 129 A

94 B (INGLÊS) - C (ESPANHOL) 103 D 112 C 121 E 130 B

95 C (INGLÊS) - D (ESPANHOL) 104 D 113 E 122 D 131 B

96 A 105 B 114 E 123 E 132 E

97 C 106 D 115 C 124 E 133 D

98 A 107 E 116 E 125 A 134 B

99 A 108 B 117 D 126 C 135 E

Matemática e suas Tecnologias

136 E 145 A 154 D 163 C 172 C

137 D 146 B 155 A 164 B 173 B

138 B 147 B 156 E 165 D 174 D

139 C 148 B 157 B 166 A 175 B

140 A 149 D 158 A 167 D 176 A

141 A 150 C 159 C 168 E 177 D

142 E 151 E 160 E 169 D 178 C

143 C 152 C 161 A 170 C 179 D

144 A 153 D 162 E 171 E 180 E

Domingo - Dia 2 – Prova Branca/Cinza

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

91 A (INGLÊS) - C (ESPANHOL) 100 E 109 D 118 C 127 E

92 B (INGLÊS) - E (ESPANHOL) 101 B 110 B 119 D 128 A

93 C (INGLÊS) - A (ESPANHOL) 102 C 111 D 120 A 129 C

94 C (INGLÊS) - D (ESPANHOL) 103 B 112 C 121 B 130 D

95 C (INGLÊS) - B (ESPANHOL) 104 D 113 A 122 B 131 B

96 A 105 D 114 A 123 E 132 E

97 E 106 A 115 E 124 C 133 E

98 A 107 B 116 D 125 C 134 C

99 C 108 D 117 E 126 E 135 E

Matemática e suas Tecnologias

136 C 145 B 154 B 163 D 172 B

137 A 146 A 155 B 164 C 173 A

138 A 147 C 156 E 165 E 174 D

139 C 148 E 157 A 166 C 175 C

140 D 149 D 158 E 167 B 176 D

141 D 150 B 159 E 168 D 177 E

142 A 151 C 160 C 169 A 178 E

143 E 152 A 161 B 170 D 179 D

144 E 153 A 162 B 171 D 180 C