Exclusivo!

Poço Verde nega título a Lula. E daí?

A cegueira ideológica impede a transformação real da sociedade (foto: porvir.org.) Dizem que o Brasil está tão dividido que é preciso ...

Novidade

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Deputado sai do PT e vai para #REDE

Domingos Dutra afirma que Lula deu razão a gente ordinária e Dilma está pagando o pato.
Blog do Fernando Rodrigues – do UOL
Domingos Dultra sai do PT depois de 33 anos. (foto: Sergio Lima/Folhapress)
O deputado Domingos Dutra (PT-MA) fez um discurso emocionado na 2ª feira (5.ago.2013) em Milagres do Maranhão, interior do Estado, no qual deixou claro para todos os petistas que o ouviam: ele deixará a legenda que ajudou a fundar, há 33 anos, para se filiar à Rede, de Marina Silva. O motivo do rompimento é a aliança do PT com o senador José Sarney (PMDB-AP). O deputado, que chegou a fazer greve de fome em 2010 contra o apoio do PT à reeleição de Roseana Sarney, cansou de defender que seu partido não se junte ao clã que domina a política maranhense há décadas. Em entrevista ao Blog, ele afirma que Lula desperdiçou a chance de usar sua popularidade para “oxigenar a política”. Para Dutra, o ex-presidente preferiu dar razão a “gente ordinária, que está aí há séculos”, e hoje a presidente Dilma “paga o pato” por essa escolha, virando alvo de protestos que pedem renovação na política. O deputado avalia que é mais fácil o PMDB abandonar o PT, caso Dilma não se reeleja presidente, do que o PT “se desgrudar” de Sarney. “2014 está chegando e o PT continua no curral do Sarney”, afirma. Leia trechos da entrevista a seguir:
Por que o senhor decidiu sair do PT?
Em 2010, o diretório estadual do PT definiu, contrariando a vontade do diretório nacional e pressões do governo do Estado, uma aliança com o PC do B para o governo do Estado, apoiando o Flávio Dino, que era deputado federal. O PC do B é aliado do PT desde a primeira eleição, em 1989. Nosso encontro foi em março e de março até junho o senador [José] Sarney ficou pressionando o presidente Lula. Ao final, Lula determinou que o diretório nacional fizesse intervenção no diretório [estadual] do Maranhão. E entregou o partido para o Sarney. Eu fiz greve de fome durante 10 dias. No final da grave de fome, nós fizemos um acordo e nesse acordo o diretório nacional nos liberou para fazer campanha a favor do Flavio. Só que está chegando 2014 e o PT do Maranhão continua no curral do Sarney. Diante dessa situação, eu não posso continuar no partido. A não ser que o PT do Maranhão saia do curral do Sarney.
Há chances de o PT romper com Sarney?
Acho muito difícil. Eu não acho que o PT vá sair, mas é possível o PT ser expulso pelo PMDB do Maranhão, do Sarney, caso a presidente Dilma não melhore sua popularidade e o presidente Lula não puder ser candidato. Se o PT não tiver um candidato competitivo, o PMDB larga o governo e vai se juntar com o Aécio [Neves]. Aí acho que eles expulsam o PT e se agregam ao PSDB.
Nessa hipótese, o sr. permaneceria no PT?
Se o PT se desgrudar do Sarney, eu reavalio a minha saída. Apesar de todos os problemas nacionais que o partido tem, eu acho que ainda dá pra disputar o PT ainda. Agora, em nível local é impossível, porque não dá para conciliar.
Qual é sua relação com a Rede, de Marina Silva?
Estou desde fevereiro de 2013 ajudando a fundar o Rede. Como tem a fidelidade partidária, eu só posso me desfiliar do PT na hora que tiver um outro partido sendo legalizado no TSE [Tribunal Superior Eleitoral]. Fundou o partido, eu tenho 30 dias para sair de um e entrar no outro. Estou no processo de formação da Rede e numa contagem regressiva para me desfiliar do PT.
Além do sr., mais alguém do PT no Maranhão pretende ser filiar à Rede?
Tem vários militantes. Mas eu não estou fazendo campanha para grandes militantes saírem do PT e irem para a Rede. Primeiro, tem que legalizar o partido, para depois… Agora, eu acho que legalizando, vai sair muita gente. O [deputado estadual] Bira do Pindaré está discutindo.
Nesta semana, o sr. fez um discurso emocionado em Milagres do Maranhão anunciando a sua saída do PT. Como seus companheiros de partido reagiram?
Muitos não querem que eu saia, e nessas reuniões que eu estou fazendo com o Flávio Dino, chamadas “Diálogos”, juntam muitos petistas. Então eu aproveitei para explicar por que estou saindo. É evidente que isso emociona, ninguém rompe 33 anos de história de forma fria. Eu não tenho histórico [familiar] de político, eu venho de baixo, sou filho de camponeses, minha mãe era quebradora de coco, meu pai era lavrador, nasci num quilombo, estou no PT desde 80, nós abrimos a picada. Cheguei até aqui, nunca me envolvi com corrupção, nunca peguei um tostão de empresários pra fazer campanha, sempre faço minhas campanhas a pé, demos o melhor da nossa vida pelo PT e pela liderança do presidente Lula, então é evidente que isso emociona. Então, talvez pela emoção do anúncio, deu essa repercussão.
O projeto do PT se esgotou?
Eu acho que tem muita gente boa no PT, tem lideranças extraordinárias. O governo fez muita coisa boa, tanto o presidente Lula como a presidente Dilma. O erro foi na política porque, ao invés de oxigenar a política, o presidente Lula deu muita razão pra gente ordinária, pra política tradicional, que está aí há séculos. Por isso que está pagando o pato hoje. A presidente Dilma está pagando esse preço alto porque o presidente Lula teve a chance, com a sua popularidade, de oxigenar a política, e não oxigenou. Preferiu figuras como o Sarney, o [Fernando] Collor, Jader [Barbalho], e assim por diante.
O sr. vai se candidatar a qual cargo em 2014?
Como eu estou saindo do PT e a Rede ainda não existe, estou colocando meu nome como pré-candidato a senador. Se a Rede surgir, é pela Rede. Eu estou em segundo lugar nas últimas pesquisas, o campeão é o candidato do governo, que pode ser o [ministro das Minas e Energia] Edison Lobão [PMDB]. Mas, sem estrutura nenhuma, eu estou em segundo lugar.

(Bruno Lupion)

Exortação, 1º filme de Heliópolis, e Os irmãos das almas estão no portal Cheio de Arte

Daiane Leite faz o papel principal em Exortação - 1º filme produzido em Heliópolis
Exortação, o primeiro filme produzido em Heliópolis, com montagem, roteiro e direção do professor Landisvalth Lima, filmado no ano de 2006, como parte do projeto de Articulação de Linguagem do Colégio Estadual José Dantas de Souza, já está no canal do professor no You Tube e já está postado no portal Cheio de Arte. O filme é estrelado por Daiane Leite, Lázaro Menezes, Crismeure Macedo, Dalila Torres e participação especial de Raimundo Lima. Também participam o jornalista Jorge Souza, Tom de Jesus e outros. O enredo é a história de uma professora que tenta implantar um novo pensar na educação, mas se depara com um prefeito-coronel corrupto e centralizador. As filmagens foram todas feitas em Heliópolis e os atores eram alunos ou ex-alunos do professor Landisvalth Lima no Colégio Estadual. Além de Exortação, o professor também liberou as filmagens da adaptação para o cinema de Os irmãos das Almas, baseado em peça teatral de Martins Pena, do século XIX. Este último filme foi realizado na localidade de Jurubeba, município de Fátima, e tem a participação de estudantes do 2º ano A, da disciplina Teatro, do Colégio Estadual José Dantas de Souza, ministrada pelo professor Landisvalth Lima, no ano de 2008. Os filmes estão divididos por partes. Exortação de 1 a 4 e Os irmãos das almas de I a III. Para assisti-los, pela ordem, clique em Exortação 1 , Exortação 2 , Exortação 3 , Exortação 4 e Os Irmãos das almas I , Os Irmãos das almas II e Os Irmãos das almas III.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Por causa da guerra, pai e filho desaparecem por 40 anos

Eles foram encontrados numa floresta e viviam em uma cabana construída sobre galhos de uma grande árvore.
Da Redação do CORREIO

Medo da guerra faz dois homens viverem na floresta
Um homem e o filho que estavam desaparecidos desde 1971 foram encontrados vivendo em uma floresta no centro do Vietnã nesta quarta-feira (7). Ho Van Thanh, hoje com 82 anos, e Ho Van Lang, 42, sumiram durante a Guerra do Vietã. Os dois moravam em uma cabana construída sobre galhos de uma grande árvore, a cerca de cinco metros do chão. Moradores da província de Quang Ngai alertaram as autoridades do país sobre a aparição de dois "selvagens" na região. Uma equipe foi montada e encontrou pai e filho depois de cinco horas de buscas na floresta. Os dois estavam vestidos apenas com tangas feitas de cascas de árvores. Eles sobreviveram comendo mandioca e frutas que encontravam na mata. Por conta do isolamento do convívio social, Ho Van Thanh e Ho Van Lang falavam poucas palavras da etnia Kor, minoritária no Vietnã. Após uma investigação sobre a identidade dos homens, as agências envolvidas constaram que os dois viviam na comunidade de Tra Kem Hamlet há 40 anos, quando ocorreu a explosão. Ho Van Thanh perdeu a mulher e dois filhos. Assustado, ele fugiu para a selva com o Ho Van Lang, que tinha apenas dois anos. De acordo com o site vietnamita Tuoitrenews, pai e filho foram levadas para um hospital local, onde realizaram exames.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Ildinho retira projeto do concurso da Câmara

Um bom público compareceu para prestigiar os músicos
O prefeito Municipal de Heliópolis, Ildefonso Andrade Fonseca, solicitou da vereadora Ana Dalva a retirada de pauta do Projeto de Lei nº 012/2013, datado de 19 de Julho, recebido na casa Legislativa dia 23 de Julho. O projeto criava novos cargos e acrescentava aos já existentes outros e autorizava e definia as normas gerais para a realização de concurso público no município de Heliópolis. A justificativa do secretário de administração, Beto Fonseca, apresentada à vereadora Ana Dalva, foi de que tentaria melhorar o projeto. Toda a tramitação, portanto, voltará à estaca zero. Fato é que, além do projeto, muita coisa terá que mudar para que o concurso seja feito dentro da normalidade.
Noite musical
Grupo musical Cordas & Sons na Câmara Municipal de Heliópolis
(Foto: Jorge Souza)
Os garotos do Colégio Estadual Professor João de Oliveira, liderados pelo professor Josafá, deram um show na Câmara Municipal de Heliópolis, na abertura do semestre legislativo. A turma do Cordas & Sons animou o público e deu um ar menos burocrático à sessão inicial deste semestre. Logo após foi a vez de Naum Merci, que encantou os presentes com músicas da MPB. O objetivo, segundo a vereadora Ana Dalva, é prestigiar os talentos da nossa região e estreitar os laços de amizade que permeiam as relações entre Heliópolis e Poço Verde.
Vereador zangado I
Como o queixoso não divulgou o meu nome, apenas me denominando do “Blogueiro”, passo a chamá-lo de “Agente de Saúde do DEM”, sem que isso represente um menosprezo ao partido, mas tão somente para poder identificá-lo melhor para o público. Segundo o tal Agente, este blogueiro disse que ele traiu o seu partido, se afastando do vice-prefeito e se atrelando incondicionalmente ao prefeito. Ele está certo. Confirmo. Inclusive a esposa dele está nomeada para cargo comissionado na secretaria de educação. Ele confirmou que Gama Neves o ajudou, mas deu a entender que não precisava do vice-prefeito para se eleger porque elegeu a mulher para o Conselho Tutelar e completou dizendo: “O blogueiro não elegeu seu irmão.”. Mentiu só no primeiro caso. Sem Gama ele não seria hoje vereador. Já no segundo caso, é verdade. Eu não elegi o meu irmão. Ele foi eleito pela comunidade para o seu segundo mandato como Conselheiro Tutelar, na mesma época que a esposa dele foi eleita por ele para o órgão em questão.
Vereador zangado II
O mesmo “Agente de Saúde do DEM” tentou denegrir o “Blogueiro” informando que ele não conseguiu se reeleger para Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza. Na visão dele, isso é motivo de desqualificação para uma pessoa. Só que ele se esqueceu de relatar outras derrotas deste blogueiro. Fui derrotado para prefeito em 2004, Ana Dalva perdeu duas eleições para vereadora, fui derrotado para Deputado Federal, fui também derrotado para a eleição de presidente do PT. Se fizermos as contas, acho que em política levei mais porrada do que venci. Mas há duas coisas que podemos confrontar: os serviços prestados ao município de Heliópolis e o uso da ética na política. O “Blogueiro”, pode usar a máquina calculadora, está disparado na quantia de benefícios e serviços que prestou a Heliópolis e nunca precisou burlar a ética a ponto de ter que sair do município por, digamos, não honrar compromissos financeiros ou eleitorais. Isso tudo sem precisar bajular prefeitos eleitos em troca de cargos para si ou para parentes.
Vereador Zangado III
Ainda o “Agente de Saúde do DEM” tocou na eleição de Ana Dalva e revelou, ao seu modo, a reunião do dia 28 de Dezembro na minha biblioteca. Ele só falou a parte que interessava a ele. Não disse, por exemplo, que havíamos combinado que os três, ele, Ana Dalva e José Clóvis, escolheriam um entre eles para ser o Presidente da Câmara de consenso e que Ildinho seria chamado apenas para dar apoio. Ele queria que o prefeito escolhesse um nome entre os três. A insistência dele foi que me fez perceber que já havia uma combinação entre ele, Clovis, Ildinho e Gama para escolhê-lo. E fui bem claro com ele quando disse que não era aconselhável fazer daquela forma. Como Ana Dalva foi voto vencido, ela confirmou votar nele, mas não participaria da chapa. Sem Ana Dalva, ele só formaria chapa com a oposição. Sectarista como é, jamais se permitira a isso e aconteceu o que aconteceu.
Vereador Zangado IV
O outro vereador também não citou o meu nome, mas fez referência a uma postagem onde coloco um relato de uma fonte sobre negociatas. O vereador se sentiu ofendido porque não citei os nomes. É claro que o vereador está fazendo jogo para que todos saibam que o seu nome não está entre os dois prováveis que estão querendo pular do barco da oposição. Só que o mesmo vereador confirmou as ofertas feitas abertamente no dia da eleição da mesa diretora. Ele mesmo classificou como algo inadmissível, mas não há na Justiça nenhum processo aberto contra nenhum corruptor. Por quê? Porque isso é prática comum dos que assumem o poder em Heliópolis. Acham que podem comprar todo mundo. Ou o vereador se esqueceu do que aconteceu nas administrações anteriores, inclusive na passada? Então um crime foi cometido por este blogue porque não divulga nomes? Eu é que sou o criminoso? A política de Heliópolis vira uma negociata esbugalhada e nojenta com o dinheiro público e o blogue é que comete crimes? Pois bem, vereador. Não vou divulgar as minhas fontes de informação de jeito nenhum, mas juro que, assim que tiver os nomes do corruptor e dos corrompidos, se houver, divulgarei aqui. No caso específico citado, parece que a coisa não andou porque os dois edis não toparam e vão continuar na oposição. Ainda bem!
Direito de resposta
Não há necessidade de maiores problemas. Qualquer pessoa que se sentir ofendida por alguma postagem do Landisvalth Blog é só mandar e-mail para Landisvalth@oi.com.br ou entregar por escrito e assinado. Não adianta ligar para mim ou tentar conversar. Preciso ter nas mãos algo concreto para provar que dei direito de respostas. Palavras ficam no ar. Use um e-mail de sua autoria, trate exclusivamente da questão e aguarde. Lembre-se que este blog emite opiniões pessoais e eu posso contestar, treplicar, replicar.... Você também pode enviar opiniões e textos. Neste caso, terei que mediar.
Novo horário das sessões 
Os vereadores da Câmara Municipal de Heliópolis, por acordo, transferiram o horário das sessões para a segunda-feira, às 9 horas da manhã, a partir da próxima reunião, dia 12 de Agosto.

domingo, 4 de agosto de 2013

Cordas & Sons- Frevo dobrado Nº 1

Cordas & Sons de Poço Verde na Câmara de Heliópolis

     

Naum Merci também marcará presença
     O grupo musical Cordas & Sons da cidade de Poço Verde, formado pelos alunos do Colégio Estadual Professor João de Oliveira, liderados pelo professor Josafá, estará na abertura do semestre legislativo da Câmara Municipal de Heliópolis nesta segunda-feira, 5 de Agosto. A presidente do legislativo, vereadora Ana Dalva, fez questão de inaugurar o novo som da casa com instrumentos musicais, até para quebrar um pouco o burocratismo tradicional das Câmara Municipais. Também Ana Dalva afirmou que é uma oportunidade para registrar um trabalho extraordinário desenvolvido pelo CEPJO, escola onde estagiou quando concluiu seu curso de História pela UNIT. "Fui impedida de estagiar no Colégio José Dantas de Souza por ser opositora do prefeito anterior, num absurdo sem tamanho. Foi o João de Oliveira que abriu as portas para que eu e Isabel Borges pudéssemos concluir nosso curso. Como soube do trabalho do professor Josafá, fiz questão de convidar.", concluiu. Além da turma do Cordas & Sons, haverá participação também do músico Naum Merci, de Heliópolis. A apresentação está marcada para ter início às 19 horas e Ana Dalva está convidando toda a população para prestigiar os novos talentos musicais da nossa região. Até lá, assistam o vídeo com o ensaio da turma em Frevo dobrado nº 1, na postagem acima.



Uma conferência de cultura sem público

III Conferência Municipal de Cultura
Aconteceu no último sábado, na Câmara Municipal de Heliópolis, a III Conferência Municipal de Cultura, com o tema “Uma Política de Estado Para a Cultura: Desafios do Sistema Municipal de Cultura”. O evento foi divulgado no município e teria inicia às 9 horas da manhã. O início se deu efetivamente às 10:45 com o pronunciamento em vídeo do secretário de Cultura da Bahia, Antônio Albino Canelas Rubim, que falou da importância das conferências de cultura no processo democrático brasileiro, dos resultados apresentados durante a gestão do governador Jaques Wagner e dos desafios a serem superados pela atual metodologia utilizada. Em seguida foi composta a mesa com a diretora de cultura Joana Darte, seu pai – ex-prefeito José Emídio, o Zé do Sertão – o secretário de educação, prof. José Quelton, o secretário de agricultura José Guerra, a vereadora Ana Dalva, o diretor de esportes José Sales, este blogueiro, o presidente da Associação da Maçaranduba, José Pereira, e outros. A abertura foi feita pelo Vice-Prefeito José Gama Neves, representando o titular da administração municipal. Em seguida, após alguns pronunciamentos burocráticos, foi decretado o intervalo para o almoço. Pela tarde, os pronunciamentos continuaram e o encerramento se deu a 16 horas.
 Quando cheguei à Câmara Municipal percebi que o público não era bom. Para dizer a verdade, sofrível. O tema cultura nunca foi um atrativo em Heliópolis, mas as autoridades estão contribuindo para sepultá-lo. Não se pode lamentar a ausência do público quando o prefeito e a maioria dos secretários não comparecem. E isso num dia de sábado. Não precisava ficar lá o dia todo, mas marcar presença, dar o incentivo necessário. Além disso, pareciam peixes fora da água. O próprio Zé do Sertão deve ter ficado triste porque, na época em que ele era prefeito, apesar dos inúmeros erros cometidos, estavam lá grupos folclóricos, músicos de Heliópolis e de fora do estado. Até mesmo na conferência do ano passado, sob a direção do ex-vice prefeito Clóvis de Dulce, embora também um fracasso, houve apresentação de grupo teatral e música. Não se pode esconder o sol com a peneira. O fracasso da III Conferência de Cultura é fruto do fracasso das anteriores, do fracasso da administração municipal, da incompetência dos seus dirigentes e do pouco caso que estamos dando à cultura como um todo. Pode até servir para buscar recursos, mas não para programar um desenvolvimento focado na melhoria da qualidade da nossa produção cultural. Uma cidade que viu Helvécio Santana morrer sem ter produzido um CD do mais importante músico da nossa história, e assistiu Alaelson do Acordeon vender sua sanfona para honrar compromissos, por não ter recebido pagamento das apresentações do São Pedro, não pode dizer que valoriza a cultura em época nenhuma.
Todos os dirigentes anteriores fracassaram porque nunca tiveram como objetivo o real desenvolvimento cultural das pessoas e da sociedade. É duro ouvir a verdade de que estamos apenas seguindo uma cartilha dos governos superiores para angariarmos recursos e usá-los em mecanismos que nos garantam continuar no poder. O objetivo é a manutenção das posições políticas. É continuar no “trono do apartamento, com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar.”. É vegetar! Passar por uma vida apenas para suprir o estômago e os prazeres e, se possível, ainda ser ovacionado pelos cegos de visão futura. Querem provas? Onde estavam os nossos músicos, as mulheres que fazem artesanato, os estudantes e professores que escrevem, as cantoras de ladainhas, os dançarinos de quadrilhas juninas, os atores de teatro amador, os cordelistas, os cantadores de Reis do Tijuco, os sanfoneiros, as bandas de pífanos? Na plateia quase só se via funcionários públicos. Apesar do esforço do vice-prefeito de tentar animar a gestão, a coisa estava mais parecendo um velório. Além disso, o tom burocrático acentuou o fracasso. Conferência é debate e temos que estar abertos a receber críticas, mesmo que elas venham de um blogueiro indesejável.