Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

domingo, 22 de dezembro de 2013

Ildinho faz reunião para arrumar a casa e quer um governo melhor em 2014

                                                     Landisvalth Lima
Reunião convocada para arrumar a casa (foto: Jorge Souza)
Depois de vivermos um ano que merece ser esquecido, parece que a administração do prefeito Ildefonso Fonseca acordou para o futuro. Nos últimos quinze dias, o prefeito e seu filho Beto Fonseca tentam unir os cacos políticos do vaso que se quebrou e esperam que a emenda fique melhor que o soneto. E parecem determinado a descentralizar toda a administração. Em suma, querem ouvir mais para fazer melhor. Para tanto, neste sábado foi realizada uma grande reunião com várias lideranças na fazenda Vaca Brava, de propriedade do prefeito, no município de Fátima. Compareceram, além do prefeito Ildinho e de Beto Fonseca, o vice-prefeito Gama Neves, os vereadores Zeic Andrade, Ronaldo, Ana Dalva, Valdelício, José Clovis e Raimundo Sabiá. Todos os secretários compareceram: Renilson Alves, José Guerra, José Quelton, Maria Zizélia. Além disso, várias lideranças dos quatro cantos do município.  
Prefeito Ildinho (foto: Jorge Souza)
A reunião foi aberta pelo prefeito Ildinho, explicando os motivos da convocação. Disse que queria ouvir a todos para organizar a casa. Foi, como sempre, muito humilde e cortês. Prometeu corrigir os erros da sua administração em 2014. Em seguida, Beto Fonseca reforçou o que disse o prefeito e pediu que procurassem o pai quando qualquer problema viesse a surgir, do ponto de vista político ao administrativo. Admitiu que algumas coisas acontecem e não chegam ao conhecimento de Ildinho, muitas delas produto da inexperiência de ambos. Beto foi claro ao dizer que em 2014 não poderá haver falhas. Será o ano da afirmação do governo Ildinho.
Beto Fonseca (foto: Jorge Souza)
Durante todo o evento, o clima de harmonia foi a tônica. Todos se esforçavam para que não houvesse atritos. Como a reunião foi para lavar a roupa suja e determinar novos caminhos, algum senão teria que acontecer. Aconteceram apenas dois. O primeiro foi logo no início. Quando eu cheguei ao local com Ana Dalva, o ex-prefeito Zé do Sertão se retirou. Sua esposa, Josefa Naudija, ainda ficou no local até o início do pronunciamento do professor Landisvalth Lima, quando resolveu se retirar. Os leitores entendam: Zé do Sertão foi acusado pelo Ministério Público Federal de Paulo Afonso, ao lado de outros dez ex-prefeitos, de desviar recursos da área de educação e nós publicamos aqui neste blog. A notícia está espalhada em jornais e blogues de toda a Bahia, mas ele resolveu escolher o Landisvalth Blog como seu algoz. Num programa em sua rádio comunitária, a Heliópolis FM, disse cobras e lagartos a meu respeito e me chamou para um debate na própria emissora. Estou aguardando o comunicado oficial da Heliópolis FM para esclarecer o imbróglio. Só que a reunião já serviria para isso. Ele resolveu adiar a peleja. Estarei sempre aberto ao debate e coloco o e-mail deste blog para que ele possa explicar o que eu tenho a ver com o problema e para enviar a convocação para o debate (Landisvalth@oi.com.br). Isto não me tira o sono. Já perdi muitas noites, mas quando participei de inúmeras campanhas para elegê-lo prefeito e deputado.
Ildinho ladeado dos vereadores Sabiá, Zeic Andrade,
Ronaldo Santana e José Clovis
(foto: Jorge Souza)
O segundo senão ocorreu quando o vereador José Clovis Pereira, no seu mais entusiasta discurso de mimos ao prefeito, ao invés de apontar os problemas, aproveitando a oportunidade de ouro para melhorar a administração, num gesto bajulador e submisso, resolveu criticar os críticos do governo Ildinho, inclusive mandando indiretas ao Landisvalth Blog. Claro que não ficaria sem resposta. Na minha vez de falar, apontei pontos positivos do pronunciamento do vereador Ronaldo, que apontaram falhas na administração do trato com os vereadores, e disse ao vereador José Clovis que eu havia votado em Ildinho de graça, por isso estava livre para criticá-lo quando fosse oportuno. O vereador teve direito à réplica e disse que eu havia perdido uma eleição para diretor do José Dantas para mim mesmo. Claro que era uma grande mentira. A eleição foi anulada por falta de quórum, num boicote dos professores ligados ao prefeito e ao vice-prefeito eleitos da época. E eu fui candidato único por ter sido o único a ser aprovado num concurso. Só perderia para a falta de quórum em um dos quatro segmentos, o que aconteceu no segmento professor. Venci com os alunos, funcionários e pais de alunos. Zé Guerra era o vice-prefeito eleito e estava naquela reunião por ter sido vítima da sua própria articulação.
Landisvalth Lima (foto:Jorge Souza)
Fora isto, o clima foi até ameno. Até porque parece que muitos resolveram não colocar na mesa os problemas tão escancaradamente. Alguns até só fizeram elogiar. Em suma, Gil de Lia pediu a união de todos e disse que não se pode consertar os erros de quase trinta anos em uma só administração. Arnóbio comparou o grupo político a uma família, o policial civil Wellington enalteceu o trabalho do Delegado de Polícia, da Polícia Civil, mas disse que era preciso manter a viatura policial em Heliópolis. Aderaldo Nobre apontou problemas nas estradas do município, o que também foi apontado pelo Gildásio do Tanquinho. Zé de Abílio elogiou a iniciativa da reunião e pediu a união de todos. O secretário de Educação José Quelton apontou problemas na questão do transporte escolar e no despreparo de motoristas dos ônibus locados para com o alunado, além de ressaltar um ponto importante da sua pasta: não perseguição aos professores e funcionários. José Hamilton apontou falta de representação do interior do município no governo, José Sales criticou os ocupantes de cargos que se acham donos dos cargos e não contribuem com a administração.
Aparelho de Ultrassonografia e Mamógrafo
Gama Neves - Vice-prefeito (foto: Jorge Souza)
Também usou a palavra o vice-prefeito Gama Neves, que lamentou a ausência de algumas lideranças, fazendo com que a reunião perdesse o caráter político e administrativo. Disse que 2013 foi um ano difícil porque não houve separação entre gestão e política. Pregou a administração correta dos recursos e disse que via o governo Ildinho como uma grande secretaria de assistência social e que o município não suportaria isso por muito tempo. Solicitou que em 2014 se acabassem com as fofocas e intrigas e que era preciso tirar o “eu” da administração. No fim deu uma boa notícia: emenda do Deputado Federal Luís de Deus (DEM) destina a Heliópolis recursos para aquisição de um aparelho de Ultrassonografia e de um Mamógrafo, agora para 2014. Gama encerrou insistindo que não era entrave para a administração de Ildinho e se colocava mais uma vez pronto para ajudar no que fosse preciso, mas que não estava ali para viver um faz-de-conta.
Antonio Jackson, Zélia e Quelton (foto: Jorge Souza)
Ainda usaram a palavra Antônio Jackson, que solicitou o fim das inimizades no grupo e pediu ao prefeito a contratação de assessor de comunicação. Antônio de Ana, da Farmácia, elogiou a iniciativa da reunião. O secretário de agricultura Zé Guerra pediu o fim do egoísmo no grupo e disse que era preciso ir a busca de alternativas para melhorar a vida do povo. Também aproveitou para criticar este blog, alegando falta de espaço para contrapor (o que também não é verdade. O e-mail está nesta postagem). Ieié (José Robson R. Fonseca – que não é parente do prefeito) disse que o trabalho será julgado pelo povo e que era preciso todos trabalharem em equipe. Solicitou mais a presença do governo em eventos.
Coragem para ouvir críticas
Ana Dalva (foto: Jorge Souza)
Em seguida usou a palavra a vereadora Ana Dalva que disse que a maior capacidade de um político é ter a coragem para ouvir críticas. Na eleição, todos estavam unidos no palanque. Depois aconteceu o distanciamento. Ela disse que todos os dias ouve das pessoas só reclamações sobre o governo Ildinho e pediu várias vezes reuniões para ajudar a organizar a casa e que não deveríamos ter medo do atrito porque ele existe em todos os lugares. Ana Dalva foi taxativa ao dizer que não faz política pensando no melhor para si, mas naquilo que é melhor para o município.
Lideranças marcaram presença (foto: Jorge Souza)
Em seguida foi a minha vez. Comecei com uma queixa de Ildinho. “No seu blog só há críticas a mim. Eu não fiz nada de bom?”, disse-me em minha casa numa reunião anterior. Fiz ver a Ildinho que pagar em dia, conseguir recursos e outras coisas da administração são obrigações de qualquer administrador. Isso não pode ser um feito particular. Mas destaquei a não perseguição aos funcionários como o ponto alto de seu governo. Também aqui faço um acréscimo: esta reunião. Ildinho já tem 50 por cento do meu aplauso. O resto vai depender do que ele venha fazer daqui por diante. E apontei caminhos: a educação precisa melhorar, e muito, cortar cargos comissionados inúteis, marcar presença em várias áreas e, principalmente, reconquistar o apoio popular. Dei a ele três opções: continuar do jeito que estava, sem contar com a minha participação; fazer uma administração planejada, começando pela correção dos problemas maiores até chegar aos menores, de forma graduada e constante; e, por fim, fazer uma reformulação radical do governo imediatamente, cortando todo mal pela raiz de forma radical, meu grande sonho distante. 
O debate foi ouvido atentamente (foto: Jorge Souza)
A reunião foi encerrada na paz. Beto Fonseca prometeu melhorias significativas, inclusive com metas para as secretarias. Foi absolutamente aberto à crítica e deixou todos à vontade. Ninguém pode se queixar de não ter tido a oportunidade de apresentar propostas ou apontar falhas. Quem ficou apenas no elogio fácil, perdeu uma grande oportunidade de contribuir com a administração. Fato é que os dados estão lançados e precisamos aproveitar este momento sano da administração de Ildinho para dar a nossa contribuição. Estou aguardando agora o prefeito para confirmar, em atos, os gestos expostos na reunião, a primeira de todas as grandes e que, espero, aconteça mais vezes. Não sou afeito ao elogio fácil e ao puxa-saquismo, mas aqui afirmo que este foi, decididamente, o primeiro passo que o prefeito deu em busca de sua afirmação como prefeito de fato de Heliópolis. Se sua disposição continuar, jamais me arrependerei do voto dado na última eleição. Vamos aguardar.