Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Democracia Petista: compra de votos em eleição para presidente do partido

      Opositores a Rui Falcão, que deve ser reeleito, afirmam que mensalidades de 311 mil filiados foram pagas para que mais votos fossem contabilizados a favor da situação
O presidente do PT e candidato a reeleição Rui Falcão, 
ao chegar para votar em São Paulo 
(foto: MichelFilho / Agência O Globo)
Enquanto o PT ainda conta os votos da eleição direta para a direção do partido em todas as instâncias, inclusive presidente nacional, candidatos a presidente já derrotados, pois o deputado estadual Rui Falcão (SP) deve se reeleger com 70% dos votos, denunciaram nesta segunda-feira que há suspeita de "compra" de votos para uma das maiores eleições internas do partido. Valter Pomar, da "Articulação de Esquerda", e Markus Sokol, da ultraesquerdista "O Trabalho", de formação Trotskista, disseram que "é fato" que no último dia da habilitação dos candidatos aptos a votar, foram pagas mensalidades atrasadas de 311 mil filiados, dos 806 mil em dia com os pagamentos para que pudessem votar no domingo. Essa regularização teria sido encarada como "compra" de votos, mas a assessoria do PT nacional nega corrupção no processo e diz que a regularização dos pagamentos inclui eleitores de todas as tendências,  
— O Processo de Eleição Direta (PED) é viciado. Durante a campanha eleitoral, pedimos o fim do PED. No último dia para a regularização dos habilitados a votar, foram quitadas as dívidas em boletos de 311 mil petistas votantes. É evidente que o processo beneficia quem tem mais recursos dentro do partido e que domina a maioria do partido - disse Sokol, se referindo às "forças majoritárias" dentro do partido.
Praticamente essa é a mesma reclamação de Valter Pomar.
— Um total de 806 mil petistas foram regularizados para votar no domingo. Desses, apenas 480 mil compareceram para votar (menos do que os 510 mil de 2009, a última eleição do PED). Isso significa que em torno de 300 mil tiveram a situação regularizada, com os pagamentos de boletos no último dia do processo, mas não compareceram para votar. Talvez nem soubessem que estavam em dia e que podiam votar - disse Valter Pomar, que pretende denunciar o caso ao Diretório Nacional do partido, que se reúne no próximo dia 18, em São Paulo.
Ele também atribui ao grupo de Rui Falcão o poderio dentro do partido.
— Eles arregimentaram um exército eleitoral de reserva, mas não foi preciso usar todo mundo - disse Pomar.
A direção do PT nacional, no entanto, disse que a quitação das mensalidades, ou a "regularização coletiva", é um instrumento do PED e que pode ser utilizada pelos diretórios municipais para a quitação de débitos.
— O sistema beneficia tanto os eleitores do Rui Falcão, quanto dos eleitores dos demais candidatos da esquerda que agora reclamam. Mas se houve alguma irregularidades, o diretório nacional tem uma comissão formada para dirimir todas as dúvidas e denúncias — disse a assessoria do diretório nacional do partido em Brasília. 
Falcão deverá ser o coordenador da campanha da reeleição da presidente Dilma Rousseff. Até a tarde desta segunda-feira, foram apurados 28% dos votos em que todos os cinco candidatos da esquerda, incluindo Sokol (com 1,48%) e Pomar (com 6,62%) somavam 30% dos votos (os outros três candidatos à esquerda de Rui Falcão estão o deputado Paulo Teixeira (18,31%), Renato Simões (3,13% e Serge Goulart (0,65%). Falcão está com 69,81% dos 480 mil votos. A eleição deve terminar nesta terça-feira.