Exclusivo!

Poucas & boas 2017.1

Brasil sem honoris causa! O título de Lula foi além do que devia (foto: Marlene Bergamo/Folhapress) Sem conseguir derrubar na Justiça...

Novidade

domingo, 3 de novembro de 2013

A segunda vida de Jurandir

                                         Landisvalth Lima
O professor Jurandir escapou da morte para viver a história
Ele foi meu aluno no Colégio Estadual José Dantas de Souza, de 2007 a 2009, e hoje é professor do CETEB – antiga Escola Agrícola de Ribeira do Pombal – via REDA. Está cursando Ciências Contábeis na Faculdade Dom Luís, em Ribeira do Pombal, e ainda faz Licenciatura em Matemática – no sistema EAD – pela FACE, de Salvador. É heliopolense da Fazenda Arrozal, tem 26 anos e o seu nome é Jurandir Souza Gama, que completa neste domingo (03) cinco meses de uma nova vida. No dia 3 de junho deste ano, Jurandir nasceu de novo, literalmente.
Ele seguia de Ribeira do Pombal rumo ao povoado de Boca da Mata em sua moto. Faltava pouco mais de um quilômetro para chegar ao povoado. Dois homens caminhavam pela estrada e estavam dispostos a levar a motocicleta do nosso sobrevivente. Mais tarde, a polícia descobriu a identidade dos bandidos. O que atirou em Jurandir foi o conhecido Raimundinho do Curaçá, de Heliópolis, e seu comparsa era um tal de Paulinho, bandido do estado de Sergipe. Ambos faziam parte do bando de Edvaldo Oliveira Santos, o “Boi”, que resolveu agir na região de Ribeira do Pombal e acabou sendo preso e transferido para Aracaju, dois dias após Jurandir ser baleado.
Mesmo em alta velocidade, Jurandir foi alvejado por dois tiros. Um acertou o seu braço esquerdo e o outro fez um estrago maior. A segunda bala furou os dois pulmões, destruiu parte do fígado e atingiu o baço por inteiro. Mesmo alvejado, Jurandir ainda guiou a moto por uns duzentos metros e só parou porque um veículo fez uma manobra de retorno e ele foi obrigado e jogar a moto num banco de areia. De capacete, ferido, e sendo perseguido pelos dois bandidos, Jurandir ainda encontrou forças para correr cerca de 300 metros até a casa do seu futuro sogro, Toinzinho da Cajarana. Raimundinho do Curaçá chegou a perseguir a vítima até o fundo da casa, mas desistiu.
No mesmo dia, Jurandir foi levado ao hospital Santa Teresa, em Ribeira do Pombal. Só do seu pulmão foram extraídos cerca de três litros de sangue. Ele ainda perdeu o baço. Ninguém imaginava que o professor sobreviveria e preparavam uma UTI para um quadro que seria de piora. A recuperação foi fantástica. Ele só gastou duas bolsas de sangue e recebeu alta dia 12 de junho. E, no dia de finados, estava tomando cerveja comigo e mais alguns amigos no bar de Daniel, no Arrozal. Já são cinco meses de uma nova vida e me dizia isso com uma satisfação inegável, apesar de estar sem o baço, uma espécie de antídoto contra gripe, e sem sua moto nunca encontrada.
Cicatrizes que jamais serão esquecidas
Foi a confissão de Edvaldo Oliveira Santos, o “Boi”, que levou o delegado de Ribeira do Pombal, Dr. Equibér, a prender os criminosos, que foram reconhecidos pelo Jurandir. E para mostrar que nosso professor escapou por um triz da morte, um dos bandidos chegou a dizer ao delegado que Jurandir foi o único que escapou da quadrilha. Eles roubam a moto e não deixam a vítima viva para contar a história. Os bandidos são tão perigosos que a transferência de “Boi” para Aracaju envolveu operação conjunta entre as Polícias Militar e Civil da Bahia e de Sergipe. Edvaldo responde por vários crimes no Estado de Sergipe, e num acordo entre as polícias da Bahia e daquele Estado, juntamente com o aval do Juiz da Vara Crime de Ribeira do Pombal, Dr. Paulo Henrique, foi feita uma mega operação para o translado do criminoso. Inclusive a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe disponibilizou um helicóptero do grupamento Tático Aéreo, que chegou a Ribeira do Pombal por volta das 15:30 horas, do dia 5 de junho, pousando no Estádio Municipal.   
Segundo o portal Pombal Alerta, foram mobilizados para o transporte e entrega oficial do preso policiais civis – Dr. Equibér (Delegado), Elisaldo e Gedeon (investigadores), policiais militares locais, do coordenador de Operações Especiais de Sergipe, Dr. Everton Santos, um agente e mais três tripulantes pertencentes ao Grupamento Tático Aéreo do Estado de Sergipe. Ou seja, Jurandir Gama conseguiu escapar de bandidos de alta periculosidade. Durante a operação, o criminoso a todo o momento encarava policiais e profissionais da imprensa, ao mesmo tempo em que sorria demonstrando sinal de frieza e despreocupação com o que estava ocorrendo, segundo relato do Pombal Alerta. É caso para o nosso Jurandir comemorar. Além de estar com ótima saúde e boa capacidade de recuperação, tem muita sorte. Só não sei se ele vai escapar dos baixos salários pagos a professores.