Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

sábado, 5 de outubro de 2013

Marina Silva no PSB como vice de Eduardo Campos?

FÁBIO ZAMBELI, NATUZA NERY e RANIER BRAGON da Folha de São Paulo
Marina Silva vai para o PSB e poderá até ser vice de Eduardo Campos (foto: Alan Marques)
A ex-senadora Marina Silva decidiu se filiar ao PSB e admite a possibilidade de sair como candidata a vice na chapa do governador Eduardo Campos (PE) nas eleições presidenciais do ano que vem. A decisão foi tomada após conversas iniciadas na noite de ontem e concluídas na manhã deste sábado (5). Até então, Marina era, assim como Campos, virtual candidata à Presidência da República nas eleições de 2014. Segundo a Folha apurou, Marina está discutindo com aliados a melhor maneira de explicar publicamente as razões pelas quais poderia ser vice na chapa. Em 2010, ela concorreu à Presidência e foi o "fator surpresa" ao conseguir 19,6 milhões de votos e ficar em terceiro lugar. O coordenador-executivo da Rede, Bazileu Margarido, disse que o lançamento de Marina como vice de Campos é "uma possibilidade" no ano que vem. "A Marina reconhece a candidatura posta do Eduardo Campos e se dispõe, desprendidamente, a ser vice em eventual candidatura", afirmou. "Mas a disposição de ambos é de tratar isso com tranquilidade, sem ansiedade." Segundo ele, pesou para a decisão de Marina de migrar para o partido de Campos "a aderência programática maior com o PSB". Para ampliar a força do grupo contra a polarização PT-PSDB, o PPS está sendo chamado a integrar a coalizão. O partido foi uma das legendas que ofereceu abrigo a Marina após o veto da Justiça Eleitoral ao partido que ela tentou organizar, a Rede Sustentabilidade. A união tem o objetivo de formar uma consistente terceira via na corrida ao Planalto, em contraposição à candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e à postulação do oposicionista Aécio Neves (PSDB). Em sua entrevista ontem, Marina já havia dito que sua decisão levaria em conta o desejo de "quebrar" a polarização política existente no país. Desde 1994, PT e PSDB são os principais antagonistas no cenário político nacional. Na sexta-feira, enquanto Marina Silva discutia seu futuro com aliados, o primeiro contato de Eduardo Campos foi feito. Em seguida, ele pegou um avião para Brasília para ter uma conversa pessoalmente com a ex-senadora.
Deste blog 
A notícia pegou a todos de surpresa, mas julgamos que não é só isso. Há mais algo debaixo deste angu todo. O Eduardo Campos está jogando pesado. Mandou um recado final para Lula: se não der para mim, Marina vai como candidata, mas eu não apoio Dilma. E por que a ira de Eduardo Campos? Corre nos bastidores que Lula havia feito um compromisso com Campos: se segurasse os irmãos Gomes, o Cid e o Ciro, o pernambucano seria o próximo candidato da base. Campos se comprometeu com Ciro e Lula não cumpriu a palavra. Resultado: Eduardo Campos perdeu os irmãos Gomes e a candidatura. Agora o PSB deu um tiro temperado. É esperar o efeito.