Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Heliópolis debate Segurança Pública

A secretário Beto Fonseca, o promotor Dr. José Botelho, Ana Dalva e o Subtenente Edmilson
Na última quarta-feira (09), na Câmara Municipal de Heliópolis, a 2ª Promotoria de Justiça de Cícero Dantas, em associação com a Câmara de Vereadores, realizou a 1ª Audiência Pública para criação e implantação do CONSEG – Conselho de Segurança de Heliópolis. Liderada pelo representante do Ministério Público, promotor José Botelho Almeida Neto, a mesa foi composta pelo Subtenente Edmilson Pereira de Souza – Comandante do 3º Pelotão da Polícia Militar, vereadora Ana Dalva Batista Reis – Presidente da Câmara Municipal de Heliópolis, os vereadores Claudivan Alves dos Santos, Ronaldo Santana Santos, José Mendonça Dantas, Zeic Andrade Alves Nascimento e Doriedson Oliveira dos Santos. Participaram ainda os secretários municipais Carlos Alberto Andrade Fonseca (Administração e Finanças) e Renilson Alves do Nascimento (Saúde). Compareceram ao evento sindicalistas, conselheiros tutelares, funcionários públicos e o público em geral. O prefeito Ildefonso Fonseca não compareceu por estar acometido de forte virose, segundo informou o seu filho e secretário de administração.
A Audiência teve início por volta das 19:30 horas e foi muito concorrida. O encerramento se deu às 23:00 horas e a maior queixa dos presentes está relacionada à poluição sonora. Foram vários os casos citados de automóveis em bares e esquinas com sons potentes provocando incômodos, inclusive a partir das 22 horas. Além da questão do som, a população vem se queixando dos roubos de motocicletas e do arrombamento de casas em todo o município. Como o índice de drogas em Heliópolis é muito alto, não há dúvida de que elas são as causas do aumento considerável desta prática criminosa. Também apontam menores como os praticantes destes delitos, muitos deles comandados por adultos infratores. O promotor, Dr. José Botelho, foi taxativo ao dizer que a participação da população será importante para combater a criminalidade e que a organização do CONSEG em Heliópolis é a ferramenta que vai ajudar a combater esta chaga social. O Subtenente Edmilson Pereira afirmou que ficará mais fácil combater os crimes com a participação mais efetiva da população. A polícia nas ruas, com as informações adequadas da comunidade, ajudará a combater a violência e os diversos crimes. Segundo a vereadora Ana Dalva, haverá uma nova audiência já com o intuito de implantar o Conselho de Segurança. A data ainda não foi determinada pelo Ministério Público.
STR de Heliópolis
A crise no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Heliópolis está longe do fim. Apesar de a Justiça do Trabalho determinar a eleição para o mês de dezembro, a Comissão Provisória eleita foi escolhida graças a um acordo inusitado. É que Juarez Carlos, que foi eleito presidente pela oposição a Zé Guerra, fez um acordo com o seu antes adversário. A união dos dois grupos foi articulada por nada mais que Antônio Jackson, determinado a colocar o PT novamente na diretoria do STR.
Falta a Câmara
Um ventríloquo do grupo do secretário de agricultura vive a alardear por aí, depois da indicação da Comissão Diretiva provisória: “Já conquistamos a prefeitura, o sindicato e agora só falta a Câmara Municipal”. Ana Dalva, em resposta disse: “Diga a eles que venham buscar a chave.”. Este blog lembra aos leitores que o grupo já estava na prefeitura quando Ildinho se elegeu prefeito. Só mudaram de roupa em troca de alguma coisa.
Nota de 15 reais
Um membro da chapa de Edmeia Torres deu uma definição sobre o comportamento do último ex-presidente do STR. “É uma nota de 15 reais”.
Despreparo 
As lamentações do atual secretário de Administração, Beto Fonseca, indicavam que muitos dos problemas sobre os atrasos no envio de documentos e prestações de contas eram culpa da administração anterior. O ex-secretário de administração, José Mário, foi à Câmara Municipal na última segunda-feira e, bem documentado, provou que o que faltou foi preparo de Beto Fonseca. Por mais que os vereadores da situação tenham esperneado, não adianta encobrir o sol com a peneira. Heliópolis perdeu uma boa quantia de recursos por incompetência. É o que dá colocar inexperientes, ou marinheiros de primeira viagem, numa pasta crucial para o município. O mais grave: É filho do prefeito!