Exclusivo!

Poço Verde nega título a Lula. E daí?

A cegueira ideológica impede a transformação real da sociedade (foto: porvir.org.) Dizem que o Brasil está tão dividido que é preciso ...

Novidade

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Caos toma conta do transporte escolar em Heliópolis

                                    Landisvalth Lima
Estudantes vão andando para a escola no João Grande
Está difícil! Setembro chegou e parece que o governo do prefeito Ildinho ainda nem começou. Os problemas não estão sendo resolvidos e parecem até aumentar. Uma área que já acumulam inúmeras queixas é a do transporte escolar. A empresa que ganhou a licitação parece que não tem competência para tal. E não há dúvida que o prefeito está arrependido de ter contratado a Minha Região para a empreitada. Os prejuízos são incontáveis. Mas é certo que a empresa não é a única culpada. Está difícil trafegar pelas estradas de Heliópolis. O governo municipal até agora não tomou uma providência para amenizar o sofrimento de quem passa pelas nossas péssimas estradas vicinais. Não há planejamento. Tudo parece andar de improviso. Os secretários são meras figuras decorativas. Não têm autonomia. Até uma máquina niveladora que chegou não contribuiu para minorar o problema. Só serviu para queimar fogos de artifício.
A aluna Jaqueline indo para a escola
E não há falta de profissionais competentes. O problema está nos prefeitinhos sem votos. Os problemas da área de educação, tenho certeza, seriam bem menores se o secretário fosse, de fato, o secretário. O professor Quelton tem boa vontade e competência, mas não lhe dão a chave do cofre, o comando das receitas e despesas. Pior é que a coisa está andando tão desgraçadamente que ele vai acabar pagando o pato por algo que não foi da sua lavra. Digo isso porque está escrito que ele é quem faz contratações, pagamentos, assina contratos relacionados à merenda escolar, transporte escolar, material didático, efetua pagamentos e outras bondades. Acredito que tem alguém fazendo isso por ele e quando a coisa estourar, o prefeito e o secretário de educação é quem vão responder. Não sei até que ponto o professor José Quelton vai suportar, mas os problemas só estão aumentando. Com relação aos outros secretários, nem vou aqui começar.
João Grande e Pindobal
Cena corriqueira: ônibus atolado na região de João Grande/Pindobal
Para comprovar este caos que tomou conta do transporte de estudantes, a aluna Jaqueline Silveira Silva, do 9º ano do Colégio Getúlio Vargas, no povoado Cajazeiras, apresentou uma série de fotos denunciando a situação das estradas na região do povoado João Grande e do Pindobal. Por vários dias os alunos tiveram que se deslocarem andando para a escola. Aqueles com moradias mais distantes, nem isso. Foram cerca de 40 alunos ausentes das aulas por uma semana, muitos deles estudam na sede do município, no Colégio Estadual José Dantas de Souza. Só os ônibus novos do Caminho da Escola, os amarelos, conseguem chegar ao destino. Os que trafegam em nossa região não têm a mínima condição. Quem teimou ficou atolado e só sai a reboque de trator, como várias fotos registram.
Fazenda Velame
Com tantos problemas, é preciso ter boa vontade para estudar
Outro caos aconteceu também esta semana. Cerca de 20 alunos da Fazenda Velame estão prejudicados porque não puderam assistir às aulas no Colégio Jorge Amado, no povoado Riacho. O motivo? Pagamento insuficiente. O motorista se ausentou das atividades desde a última segunda-feira porque está recebendo muito pouco. Além disso, há reclamação das condições também das estradas. Ele só voltará quando os problemas forem corrigidos. Enquanto isso, a ignorância vai colecionando troféus. Uma parte destes alunos, aos trancos e barrancos, consegue chegar à escola, mas nem sempre isso é possível porque a distância é de 9 quilômetros.
Novos tempos

Depois de atravessar lagoas, a longa caminhada!
A pergunta que se faz é: cadê o prefeito? Onde está o homem que desbancou um forte grupo político e conseguiu agregar forças tão antagônicas a seu favor? Cadê o homem de poucas letras que ia desbancar os diplomados incompetentes? Onde está o homem de palavra, sério, honesto e trabalhador que todos nós conhecemos e que nele depositamos confiança? Já não é hora de aparecer e mandar para a gaveta os prefeitinhos sem voto e os senhores 20 por cento? Acreditem: há pessoas que ainda sonham com isso. Soube até que o prefeito estava triste pelas críticas que recebia. Chegou até a falar de arrependimento por ter se candidatado, mas se aquietou. Não desista prefeito! Vá em frente. Tome uma decisão! Comece a administrar Heliópolis. Pegue as rédeas da administração pública. Se precisar de ajuda, não faltam pessoas interessadas em tirar Heliópolis desse caos. Mas, se também quiser renunciar, faça-o logo, pelo amor de Deus! Os tempos são outros. Não dá mais para ficar jogando apenas na velha rivalidade Pardal X Bem-te-vi. Isso acabou. O povo quer resultados, melhorias, evolução, solução de problemas. E tudo isso se resume numa palavra: PLANEJAMENTO. Não basta ficar entregando documentação para deixar Heliópolis adimplente e pegar recursos federais e estaduais. Há dinheiro suficiente na administração municipal para as coisas mais comuns do dia-a-dia. É só expulsar as pulgas, os carrapatos, as sanguessugas e os passarinhos com pirrincha. Faça algo rápido e urgente. Heliópolis precisa urgentemente sorrir, coisa que acho nunca fez. Perdão, precisamos desesperadamente dar uma boa gargalhada!