Exclusivo!

Poucas & Boas 2017.3

2020 já começou? Alguns políticos de Heliópolis precisam saber que 2020 só começa após 2018. Ou seja, os resultados de 2018 podem in...

Novidade

quinta-feira, 28 de março de 2013

Um exemplo do PCdoB para Ildinho


                                                   Landisvalth Lima
Ildinho
Muitos prefeitos que chegam ao poder encontram um verdadeiro caos nas prefeituras, produto de todo tipo de roubalheira que se apoderou do serviço público neste país. Muitos reclamam da terra arrasada que encontraram, mas não tomam as providências jurídicas para colocar os causadores dos problemas na cadeia. Todos sabem os problemas vividos por Heliópolis nos últimos quatro anos. Estão cientes das denúncias feitas por este blog e pela vereadora Ana Dalva, mas parece que nada disso valeu a pena do ponto de vista da eleição de Ildefonso Andrade Fonseca, o Ildinho. É que, até agora, o prefeito eleito não entrou na Justiça denunciando as imensas irregularidades praticadas pelo ex-gestor do PCdoB. Mas, para Ildinho não pensar que o que estamos propondo é absurdo, vai aqui um comportamento republicaníssimo do prefeito Otto Wagner de Magalhães, do PCdoB, do mesmo partido do ex-gestor, eleito para administrar a prefeitura de Poções. Vejam a nota publicada no Blog do Anderson, da cidade de Vitória da Conquista:
“A Prefeitura de Poções ajuizou, na semana passada, Ação de Improbidade Administrativa, com mais de 500 laudas de documentos, contra o ex-prefeito, Luciano Mascarenhas (PTB) e seu ex-secretário de Finanças, Robson Nery Silva. Segundo informações do advogado da causa, Esdras Silveira, os prejuízos causados ao erário, se somados, podem ultrapassar a cifra de 40 Milhões de Reais. “São débitos com a Previdência Social, com a Caixa Econômica Federal, com o Banco do Brasil, além de outros tantos com fornecedores, folha de pessoal e dívida ativa não executada. Além das dívidas, a gestão atual encontrou um patrimônio em estado de inutilidade para o serviço público”, ressaltou em entrevista ao Blog do Anderson nesta terça-feira (26). Ainda segundo informações do advogado, “as pendências financeiras e a morosidade na entrega da escrita contábil referente a gestão passada, obrigou o prefeito eleito, Otto Wagner de Magalhães (PCdoB), a decretar situação anormal de emergência administrativa, o que fragiliza a administração pública e seu regramento, além de impossibilitá-la de entabular convênios com o Governo Federal”.”
Está aí, Ildinho, uma ação de um prefeito que quer acertar, colocar as coisas no lugar. Notícias de Heliópolis dão conta que o prefeito Ildefonso queria fazer uma auditoria. Eu mesmo sugeri quando fazia parte da Comissão de Transição, mas soube que aconselharam Ildinho a desconsiderar a sugestão. E até aqui nada foi feito. Quem o aconselhou é porque está querendo fazer o mesmo de errado que fizeram. Vou ser mais direto para ser melhor entendido: Se quem aconselhou Ildinho está trabalhando na administração do município, deve ser afastado imediatamente. Se não for ladrão ainda, está pretendendo ser. Mais, Ildinho é quem pagará o pato e o povo de Heliópolis continuará na sua longa marcha de sofrimento, que parece interminável!