Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Yoani Sánchez classifica protestos como “piquete de extremistas”


Manifestação foi organizada pela União da Juventude Socialistas (UJS) com a participação de cerca de 30 entidades
Da Redação do CORREIO
Sánchez participou de coletiva à imprensa na manhã desta
terça-feira
(Foto: Ed Santos/Acorda Cidade)
A blogueira cubana Yoani Sánchez classificou os protestos que enfrentou em Recife, Salvador e Feira de Santana no dia de sua chegada ao Brasil, na segunda-feira (18), como um “piquete de extremistas”.
“Repetiam um roteiro idêntico e banal, em ter a menor intenção de escutar a réplica que eu poderia dar. Gritavam, interrompiam, em um momento ficaram violentos e de vez em quando lançavam um coro de slogans dessas que já não se dizem nem em Cuba”, escreveu em postagem feita em seu blog nesta terça-feira (19).
A blogueira foi impedida de assistir a projeção do documentário “Conexão Cuba Honduras “ do cineasta brasileiro Dado Galvão, que seria exibido em Feira de Santana na noite desta segunda.
O filme, em que Yoani é uma das entrevistadas, é um dos principais motivos da vinda da blogueira ao Brasil em sua primeira viagem internacional após receber o passaporte, além do lançamento de seu livro "De Cuba, com Carinho".
A manifestação foi organizada pela União da Juventude Socialistas (UJS) com a participação de cerca de 30 entidades que apóiam o governo cubano.  Com a impossibilidade de realizar a exibição do documentário, o senador Eduardo Suplicy propôs a realização de um debate entre manifestantes e a blogueira no Parque do Saber, mas devido à exaltação dos presentes, Yoani teve de deixar o local escoltada pela polícia.
“Ao final da noite me sentia como depois de uma batalha contra os demônios do mesmo extremismo que atiçou os atos de repúdio daquele ano de 80 em Cuba. A diferença é que esta vez eu conhecia o mecanismo que fomenta estas atitudes, e podia ver o longo braço que os move desde a Praça da Revolução em Havana”, escreveu.
Nota de esclarecimento
Em um comunicado divulgado em sua página na internet, a União de Juventude Socialista nega que tenham havido agressões à blogueira e que o cancelamento da exibição do documentário tenha ocorrido devido à manifestação.
"A manifestação de Feira de Santana não impediu a exibição do filme nem cerceou de qualquer modo o direito de Yoani se pronunciar. A UJS organizou uma manifestação democrática no local, Yoani chegou bastante atrasada e, ao entrar foi recebida apenas com palavras de ordem de protesto, nenhuma agressão verbal, muito menos física", diz a nota. A UJS afirma que o cancelamento da exibição do filme partiu dos organizadores do evento "com o argumento do atraso nos horários".
Ao final da nota a UJS acrescenta "Os atos, portanto, vão continuar". Yoani Sánchez tem um debate agendado para as 19h desta terça-feira (19) no centro cultural de Feira de Santana e deve viajar para São Paulo nesta quarta-feira. As informações são do Portal EBC.