Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

domingo, 4 de novembro de 2012

Corrupção se espalha e atinge até o Brasil Sem Miséria

Nos grandes centros já há indignação contra corruptos

A corrupção, aparentemente combatida pelo governo Dilma, desde que não represente perda de apoio político, é mais crônica nos municípios. A imprensa das pequenas cidades nem sempre está disposta a cumprir o seu verdadeiro papel de fiscalização das administrações públicas. É fato que o Ministério Público não dá conta de tudo sozinho e as câmaras municipais também não fiscalizam como deveriam a aplicação das verbas públicas. Todos sabem que só se fiscaliza se o prefeito for adversário. A própria sociedade sente-se constrangida quando se trata de fiscalizar a aplicação dos recursos públicos. As pessoas acham que denunciar o que está errado é perseguição. Muito pelo contrário: ficar calado é que é perseguição - da miséria, do atraso, do coronelismo, da falta de compromisso com o interesse coletivo e covardia política. Quase a totalidade dos programas que funcionam nos municípios hoje é elaborada e financiada pelo governo federal. Cabe aos municípios fazer funcionar, o que não acontece em boa parte das vezes. O desvio de finalidade dos recursos públicos é muito grande nos municípios e a corrupção domina de forma absoluta.
 O programa do governo federal, por exemplo, o Brasil Sem Miséria, é alvo de uma série de fraudes investigadas pelo Ministério Público, Polícia Federal, Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU). O projeto foi lançado em 2011 pelo governo Dilma Rousseff e reúne programas como o Minha Casa Minha Vida, o de Aquisição de Alimentos e o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil. Um levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que o plano do Executivo tem sido usado por aproveitadores que exploram a miséria de pessoas em extrema pobreza. Em Redenção, no Pará, o Minha Casa Minha Vida é investigado pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF) sob suspeita de que as casas foram usadas como moeda eleitoral pelo prefeito Wagner Fontes (PTB), que tentou se reeleger, mas perdeu no primeiro turno. Por lá, até a cunhada do prefeito foi contemplada. Na Paraíba, um esquema que envolve o Programa do Leite desviou milhões, enquanto famílias recebiam leite adulterado. Em Mato Grosso do Sul, um gato recebeu o Bolsa Família. E, pelo país, são comuns casos em que pessoas sem o perfil dos programas foram neles incluídas, enquanto outras que realmente precisam estão de fora.
Com informações complementares do Bahia Notícias e do Tribuna Livre.