Exclusivo!

TCE fará evento no CEJDS

TCE quer alunos praticando cidadania (foto: divulgação)      O Tribunal de Contas do Estado da Bahia – TCE – está desenvolvendo o pr...

Novidade

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Wagner aceita proposta do MP e Rui acha “muito ruim”


Wagner aceitou proposta do Ministério Público

O governador Jaques Wagner afirmou nesta quinta-feira (12) que aceita a proposta oriunda da mediação feita pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) e pelo Tribunal de Justiça (TJ-BA) para tentar acabar a greve dos professores da rede estadual de ensino, que já dura 93 dias. Nesta quinta-feira (12), uma reunião entre representantes da categoria e do governo não foi acatada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB). “A proposta que a gente tinha na mesa era de R$ 218 milhões. A mediação propôs a antecipação e a inclusão do estágio probatório nas promoções. Isso são mais 23 milhões, cerca de 11% a mais do que estava previsto na primeira proposta. É claro, aquilo que foi proposto por eles (MP-BA e TJ-BA) eu estou aceitando”, disse Wagner. “Espero que os professores do Estado entendam o esforço e retornem às atividades na segunda-feira (16)”, estimou o governador, que ainda prefere “confiar no bom senso e na maturidade dos professores” para o acordo. Sobre o pedido dos professores de reintegração e anulação das punições, o chefe do Executivo baiano prometeu rever e analisar os casos. “Não tem nenhum ânimo aqui de retaliação, então poderia dizer que a proposta do MP, que pede a não punição, está absorvida pelo governo. Vamos rever, para não punir nenhum professor simplesmente pela participação na greve”, prometeu.
Rui não ficou satisfeito
A proposta apresentada não foi bem recebida pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, que a classificou de "muito ruim". Ele apontou que a decisão final deve sair na assembleia dos docentes prevista para a manhã desta sexta (13).O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, considerou a proposta apresentada pelo Ministério Público Estadual no encontro com o governo estadual nesta quinta-feira (12), “muito ruim”. A intermediação era uma tentativa de encerrar a greve dos professores, que já dura 93 dias. “Se depender do comando de greve, o movimento continua. Mas a decisão será tomada nesta sexta (13) na assembleia, às 10h”, apontou Oliveira, em conversa com o Bahia Notícias. A reunião teve início nesta quinta, por volta das 14h, e teve a participação do procurador-geral de Justiça, Wellington Lima e Silva, dos secretários Osvaldo Barreto (Educação) e Manoel Vitório (Administração), que levaram a tentativa de conciliação à Governadoria, para apreciação do governador Jaques Wagner. Conforme o titular estadual da Comunicação, Robinson Almeida, Wagner e os secretários acataram a proposta do MPE, que anteciparia vantagens propostas pelo governo e resultaria em um aumento de aproximadamente R$ 23 milhões nas despesas da máquina estadual. Além disso, foi consentida a sugestão de não haver punição aos integrantes do movimento grevista. "O mais importante é que os estudantes retornem às salas de aula", pontuou Almeida, em entrevista ao BN. Nesta quarta (11), o governador apresentou ao MP a proposta de reajuste para os professores, além de informações complementares sobre o Fundeb e as planilhas com aplicação das promoções. De acordo com Wagner, além dos reajustes salariais concedidos à categoria este ano, com variação de 6,5% a 11,5%, o governo se propõs a conceder aos professores licenciados, em novembro de 2012, promoção por meio de curso, com ganho de 7%, e em abril de 2013, nova promoção, também com ganho de 7%.
Informações e fotos do Bahia Notícias.