Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

domingo, 17 de junho de 2012

PPS de Heliópolis lança última proposta


     Em reunião emergencial ocorrida na casa da vereadora Ana Dalva neste domingo (17), foi lançada a última proposta para tentar formar uma chapa de oposição consensual. A reunião foi solicitada pelo pré-candidato do Democratas de Heliópolis, Gama Neves. Pressionado pelo PPS para fechar uma chapa até a terça-feira (19), Gama solicitou a Ana Dalva e ao professor Landisvalth uma reunião emergencial com o DEM, PPS, PMDB, PR e PSC. Embora tivesse dito que não participaria mais de reuniões, Ana Dalva e Landisvalth aceitaram porque Gama Neves colocou a coisa como definitiva. Depois de vários telefonemas, compareceram Ildinho Fonseca (PSC), Ronaldo (DEM), Mundinho do Tijuco (PMDB), Zé Milton Sem-Terra (DEM) e Raimundo Lima (PR), além de Gama Neves e os anfitriões.
     Todos demonstraram cansaço e decepção com as indefinições. Gama Neves chegou a dizer que a hora já havia passado e o povo cobrava uma definição. Lá para o meio da reunião ficou mais ou menos definido que Ildinho Fonseca votava em Gama e Gama também votava em Ildinho, caso um dos dois fosse aceito pelo aglomerado oposicionista. Diante disso, o professor Landisvalth Lima, após pressão da vereadora Ana Dalva por uma definição de consenso até a próxima terça-feira, lançou a seguinte proposta: Gama Neves (DEM) como prefeito e o vice indicado pelo PSC, podendo ser Ildinho Fonseca ou seu filho Ivan; ou 
Ildinho Fonseca (PSC) prefeito e Ana Dalva (PPS) como vice. 
   Ficou decidido que haveria consulta a Zélia/Antônio Jackson (PT), a Zé do Sertão (PDT) e a Tiago Andrade (PTN) para fecharem uma das duas propostas. Os grupos têm até terça-feira pela manhã para bater o martelo. Segundo Ana Dalva, agora parece que há uma luz no fundo do túnel. “Só não fechamos definitivamente porque temos que respeitar a opinião dos outros ausentes, mas senti que havia um clima de conclusão. Se por acaso nada acontecer, terça-feira o PPS lança ou eu ou Landisvalth e vamos para a luta. Aí, minha dor de cabeça será arranjar um vice. Não adiantará bater na minha porta depois da convenção para conversar. O PPS seguirá seu caminho em busca da construção de uma Heliópolis melhor.”, concluiu.