Exclusivo!

Mais duas mortes trágicas em Heliópolis

Mariza Alves sofria de asma Adriano faleceu em acidente A cidade de Heliópolis tem vivido uma das maiores epidemias de mortes de...

Novidade

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Professores: Categoria resiste e greve continua


     Em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira, 7 de maio, os trabalhadores em educação da rede estadual decidiram continuar com a greve iniciada em 11 de abril. E manter a ocupação na Assembleia Legislativa, iniciada em 18 de abril. A categoria decidiu ainda que fará uma grande passeata na quarta-feira, 9 de maio, saindo do Campo Grande à Praça Municipal, às 9 horas. Estarão presentes representantes da capital e do interior.
     A assembleia decidiu ainda a realização de reuniões das zonais na tarde desta segunda-feira. Também será feita uma reunião de representantes das centrais e do comando de greve. Desta reunião sairá um documento a ser entregue ao Ministério Público e ao arcebispo primaz do Brasil, Dom Murilo Kruger, solicitando a intervenção de ambos no convencimento ao governo estadual para que reabra as negociações. O governo, apesar do governador Jaques Wagner e de seus secretários falarem à imprensa o contrário, não sinalizou desde o início da greve com a possibilidade negociação. A categoria decidiu ainda que, dentro do possível, vai colaborar com os municípios que mais sofrem com a seca, realizando em mutirão com outros sindicatos o envio de carros-pipa.
     A APLB informou ainda que entrou com um Mandato de Segurança para obrigar a Secretaria da Educação a liberar os salários retidos no último mês. Também foi informado que haverá uma audiência com o Ministro da Educação na próxima sexta-feira em Brasília e que todas as ações jurídicas estão sendo tomadas para reverter o quadro de ilegalidade do movimento. A boa notícia vem do estado do Piauí. Lá, os professores estão em greve há 70 dias e o governo sinalizou com a concordância em pagar os 22,22%. Os professores de lá farão assembleia para analisar a proposta. Aqui, já foram completados 27 dias de paralisação. Espera-se que o ex-sindicalista, agora governador, não deixe chegar a um nível destes para cumprir o acordo feito com a categoria.
     O SINTE-PI, sindicato dos professores de lá, manteve acampados os professores ao lado do Palácio do Governo em Teresina. O Governo, depois de novas audiências, resolve apresentar, para a categoria, através da presença da CNTE e do SINTE-PI, uma proposta do pagamento dos 22,23% linear, para todas as classes, a resolução de todas as transposições existentes, a implementação do vale-transporte no contracheque, pagamento retroativo do piso para as classes A e B, a criação de uma gratificação de incentivo baseada na evolução dos índices escolares e a criação de uma comissão que irá elaborar toda a reformulação do Plano de Carreira e Vencimento. Lá, na terra de Torquato Neto, há significativos avanços. Aqui, o governo do PT tenta vencer os professores pelo cansaço.
     Com informações complementares do portal da APLB-Sindicato.