Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

sábado, 7 de janeiro de 2012

Visita do Governador: Nada mudou em Coronel João Sá


Wagner em Coronel João Sá: Nada mudou!

     O portal de Carlino Souza fez a cobertura completa da visita do governador Jaques Wagner a Coronel João Sá, ocorrida na tarde de sexta-feira, 06. Segundo reportagem, o dia foi de bastante movimento. O evento iniciou-se pela madrugada ao som da banda Seeway. A festa se estendeu até às 17 horas com enceramento do show de Mano Walter e Paulo Nunes. Durante o discurso do presidente da assembleia, Deputado Marcelo Nilo, aliados do prefeito Carlinhos Sobral e os do ex-prefeito Romualdo e de Adelmo de Justino promoveram um festival de vaias. A confusão começou no final da visita do governador quando os ex-prefeitos Adelmo de Justino e Romualdo tentaram entrar no meio da grande multidão presente na praça de eventos.  Boa parte das pessoas vaiou os dois pré-candidatos que por pouco não foram agredidos fisicamente. Houve empurra-empurra, troca de murros entre os grupos políticos. O sargento Josival Santos, portador de uma cegueira total e coordenador do projeto social Sertão Casa Branca também pagou seu preço quando alguém tentava tirá-lo do palanque sob alegação que ali seria lugar de autoridade. Além disso, Josival foi agredido covardemente com um tapa nas costas e um murro.  
     Crimes em Pedro Alexandre
     Ao lado do prefeito Pedro Gomes de Pedro Alexandre, Wagner determinou ao secretário de segurança pública colocar um delegado especial para apuração e investigação dos assassinatos ocorridos no município de Pedro Alexandre. “Eu acho errado acusar quem quer que seja antes da investigação. Vamos investigar, para que a gente descubra os mandantes, assassinos pra que haja punição por que minha luta será contra a criminalidade" declarou, Jaques Wagner.
     Coronelismo
      O prefeito Carlinhos Sobral, que votou em Geddel Vieira Lima, recepcionou o governador e demonstrou força política. Nada diferente de outros tempos. São dois grupos disputando espaços em busca de benesses. Como sempre, não há um projeto político para colocar o município numa posição progressista. Colocar correligionários para ficar vaiando o adversário durante a visita de um governador já é parte de um filme que começou na época de Antônio Carlos Magalhães. Hoje, sem ACM, as práticas continuam as mesmas. Só que agora o chicote e o dinheiro têm como marketing não só uma cabeça branca mas as marcas da foice, do martelo e da estrela vermelha. Um fato que passou despercebido é que o governador só anunciou um delegado especial para apurar os assassinatos em Pedro Alexandre agora, tanto tempo depois, quando visitou a região.
     Ficamos aqui a imaginar o dia em que possamos ver líderes políticos sentarem para discutir as melhores propostas para uma comunidade, o dia em que prefeitos, mesmo de partidos opostos, recebam chefes políticos sem estes estardalhaços tupiniquins, próprios de mundos quase primitivos. Não entendemos como Jacques Wagner alimenta tal procedimento, mas é bom saber que Carlinhos, Romualdo e outros, há bem pouco tempo, faziam exatamente a mesma coisa com aqueles que o atual governador venceu, depois de batalhas ideológicas no campo dos sonhos de uma sociedade moderna, com a marca inconfundível, na época, da esquerda. Ah! É o Poder! O Poder justifica tudo. Serve até de desculpa para não fazer nada!
     As informações e foto são do portal de Carlino Souza.