Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Secretário do PT gasta mais de 1 milhão em eventos só em dezembro


Carlos Brasileiro (PT) combatendo fome com luxo!

A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), que recentemente realizou a sua festa de confraternização no espaço Unique Eventos, um dos mais requintados de Salvador, ao custo de R$ 18 mil, repassou R$ 1.025.452,35 – só em dezembro – à empresa Agogô Marketing Promocional LTDA. O Bahia Notícias verificou no site Transparência Bahia, mantido pelo próprio governo, que, nos últimos 20 dias, houve 10 pagamentos com valores variados, entre R$ 5,3 mil e R$ 390 mil, para contratação de “exposições, congressos, conferências e simpósios”, “recepções, hospedagens, homenagens e solenidades” ou mesmo “outros serviços terceiros”. Chama a atenção o fato de que, apenas no dia 12, a Sedes repassou à Agogô dois grandes montantes, um de 169.844,49 e outro de R$ 390 mil, e nove dias depois, na última quarta-feira (21), fez outra operação financeira de R$ 340.669,40 à mesma contratada. Os três empenhos estão enquadrados na categoria “exposições, congressos, conferências e simpósios”. Procurado pela reportagem para comentar o assunto, o secretário Carlos Brasileiro justificou que não há irregularidades nas movimentações, até porque o convênio com a Agogô foi firmado por meio de licitação. “Ela tem contrato com o Estado e todas as conferências municipais, territoriais, estaduais e nacionais ela é que faz, não só na Sedes, mas em todas as secretarias. Nós precisamos acabar com essa ideia de que toda a relação com parceiros tem promiscuidade; porque é parceiro, o cara vai ganhar lá adiante em algum lugar. Não tem esse jogo comigo”, declarou o titular da Sedes. Ele negou ainda que a polêmica celebração de fim de ano no Unique Eventos, locado por R$ 18 mil, tenha sido promovida pela Agogô. “Não procede. Foram os colaboradores. Foram eles que fizeram a festa”, reiterou. Carlos Brasileiro é deputado estadual licenciado pelo PT e, ex-prefeito de Senhor do Bonfim por duas vezes, tentará retornar ao comando da cidade do nordeste baiano em 2012.
Brasileiro diz que espaço foi “o mais em conta”
Apesar de todo o glamour do Unique Eventos, localizado no centro financeiro de Salvador – a Avenida Tancredo Neves –, o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Carlos Brasileiro, revelou ao Bahia Notícias que o espaço não é tão dispendioso quanto aparenta. “Pelo que me dizem, foi um dos locais mais em conta que encontraram e o meu objetivo era valorizar o nobre servidor. A Sepromi [Secretaria de Promoção da Igualdade Racial] também fez uma festa, um dia desses, e ninguém se tocou com a Sepromi. Qual é a diferença? Não é o fato de que eu estou na Secretaria de Combate à Pobreza que eu não posso fazer uma festa [no Unique]. Tenho que fazer em qualquer lugar”, argumentou. Para o titular da Sedes, o questionamento sobre o custo é “hipocrisia”. “Porque a gente está no Combate à Pobreza tem que viver como pobre? Sinceramente, eu não compreendo. Estou falando do fundo da minha alma. Se a gente tivesse feito em um lugar escondido, talvez ninguém soubesse, e aí morria. Já que fez na Unique, que é lugar charmoso... Por que o servidor de Combate à Pobreza não pode estar em um lugar legal? Claro que pode. Pode e deve. Tem que acabar com essa hipocrisia de que a gente não pode estar nos espaços bons. ‘Lá é um lugar chique que só vai barão’. Ora, vai barão e vai pobre. Se tiver dinheiro para pagar, vai o pobre e vai o rico”, comparou. O orçamento da Sedes para 2011 foi de aproximadamente R$ 270 milhões. Apesar do empenho da pasta, destacado por Brasileiro, para erradicar a miséria, dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na última quarta-feira (21), dão conta de que a Bahia é o estado nordestino com o maior número de moradores de favelas. Segundo o levantamento, ao todo, 970.940 baianos vivem em “condições subnormais”.
Wagner não gostou
O Governador não gostou da ideia
Dissonante do argumento do seu auxiliar Carlos Brasileiro, o governador Jaques Wagner, em entrevista ao Bahia Notícias, condenou a realização da festa de confraternização dos servidores da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) no luxuoso Unique Eventos, em Salvador. Provocado a falar sobre o assunto, durante a partida amistosa entre os Amigos de Neymar e o Combinado da Bahia, no Estádio de Pituaçu, nesta quinta-feira (22), o chefe do Executivo baiano classificou a celebração como “inadequada”. “Não vejo motivo nenhum para uma secretaria, particularmente de combate à pobreza, fazer [a festa] no Unique. Apesar de, só para não dar uma de fariseu, ser normal em qualquer instituição, nos jornais, nos blogs, nas empresas, nas famílias, fazer confraternização. Mas eu concordo que a escolha não foi adequada, na medida em que o local é visto em Salvador como algo de elite. Não que os funcionários da secretaria não possam ter direito de ir a um local desses, mas, até pelo fato de nós estarmos com contenção de despesas, não acho que foi adequada a escolha do local”, criticou. Sem revelar quem bancou o evento, Brasileiro limita-se a dizer que nenhum centavo foi tirado dos cofres públicos para locar o espaço, que se autodenomina como “perfeito para quem procura alto nível”.
Informações do Bahia Notícias.