Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Indonésia faz "limpeza espiritual" em jovens punks

 A polícia de uma das províncias mais conservadoras da Indonésia decidiu tomar um atitude radical com os jovens punks. Após um show de rock em Aceh Besar, na província de Aceh, a polícia decidiu deter 65 jovens com piercings, tatuagens, moicanos e roupas rasgadas porque eles seriam "uma ameaça aos valores islâmicos". Os jovens tiveram os piercings retirados, os cabelos raspados, trocaram de roupa e, em seguida, foram jogado sem piscinas para a limpeza "espiritual", disse o chefe de polícia Iskandar Hasan, que chamou os trajes usados de "nojentos". A polícia colocou todos os jovens em uma van e os levou para um centro de denteção na capital da província, Banda Aceh, para que eles passem por uma reabilitação, treinamento militar, aulas de disciplina e religião. A previsão é de que os jovens permaneçam no centro por dez dias e depois todos serão entregues aos seus pais. A atitude não é bem vista pelos jovens, que há meses reclamam de perseguição. "Por que? Por que meu cabelo?", disse Fauzan, um dos jovens, ao ter seu cabelo raspado pela polícia. "Nós não estamos machucando ninguém. Esse é o jeito que escolhemos para nos expressar, por que estão nos tratando como criminosos?". Hasan insistiu que a atitude não foi violadora. "Não estamos torturando ninguém, nem violando os direitos humanos. Nós só estamos tentando colocá-los na linha", disse o chefe de polícia. Um comissário dos direitos humanos, Nur Kholis, não tem a mesma visão que Hasan e prometeu investigar a ação da polícia. "Eles estão violando o direito de expressão das pessoas", afirmou. Na Indonésia, os cerca de 200 muçulmanos que moram no país praticam uma forma moderada da religião, embora atos como beber álcool, apostar e beijar em público sejam proibidos em locais mais conservadores. As informações são da "Associated Press".
     Informações do UOL Notícias, de São Paulo.