Exclusivo!

Poço Verde nega título a Lula. E daí?

A cegueira ideológica impede a transformação real da sociedade (foto: porvir.org.) Dizem que o Brasil está tão dividido que é preciso ...

Novidade

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Funcionários do Detran são mortos em Feira de Santana


Sargento Amarildo

Polícia investiga causa do crime, mas suspeita-se que tenha ligação com denúncia de fraudes 
Tiago Décimo - O Estado de S.Paulo
Corpo de Maria das Graças sendo retirado do veículo
(foto: Central de Polícia em Feira)
SÃO PAULO - Três funcionários da 3ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), do Departamento Estadual de Trânsito na Bahia (Detran-BA) foram mortos a tiros na manhã desta quinta-feira, 29, em Feira de Santana, na Bahia. A principal suspeita da Polícia Civil é que um deles, o coordenador de habilitação Amarildo Araújo de Novaes, tenha atirado contra os examinadores Maria das Graças Costa Veiga e Luís Eugênio Teixeira Santos e cometido suicídio em seguida. Segundo testemunhas, o sargento Amarido Novaes teria chegado por volta das 7h30 e estacionado seu carro no quartel do Corpo de Bombeiros. Em seguida, ele foi conversar com Luis Rogério e Maria das Graças, que estavam em outro veículo. Após algum tempo de conversa, ele teria atirado nos dois, e em seguida, atirado em si mesmo. Novaes ainda foi encaminhado ao Hospital Clériston Andrade, onde faleceu. A única arma encontrada pelos policiais foi o revólver de Novaes, que era sargento da Polícia Militar, e os investigadores afirmam que todos os tiros foram disparados de dentro do carro onde estavam os três, de propriedade de Santos, no Centro Industrial de Subaé. O veículo de Novaes estava nas proximidades. Há um mês, a Ciretran de Feira de Santana passa por investigação, por parte da direção-geral do Detran baiano, por supostas fraudes na liberação de carteiras de habilitação e na regularização de veículos com documentação falsificada. Preventivamente, sete servidores suspeitos de participar das fraudes foram remanejados. Segundo o interventor da Ciretran, Oswaldo Mota Moura, é possível que os assassinatos tenham relação com as investigações, mas os três mortos não haviam sido listados entre os suspeitos de participação nas fraudes. As duas vítimas morreram no local. Novaes chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.
Colaborou: JULIANE FREITAS, do ESTADÃO.COM.BR.