Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Dois secretários de Heliópolis podem estar envolvidos nas ameaças a Maria Andrade


José Alves, Maria Andrade, Inaldo Santana e o policial Welington

A Dra. Maria Andrade, Procuradora dos Direitos Humanos, esteve no último dia 23 na Delegacia de Heliópolis perante o Delegado, Dr. Inaldo da Silva Santana, delegado de Fátima  que está respondendo pela Delegacia de Heliópolis –, e  registrou Boletim de Ocorrência  acerca de suposta ameaça de morte sofrida indiretamente por pessoa da administração pública municipal de Heliópolis. O delegado ouviu as declarações da vítima e fez o BO. Dr. Inaldo Santana afirmou que tomaria as devidas providências junto a coordenação dessa região. No dia 26, o delegado ouviu as testemunhas José Alves, Delegado dos direitos Humanos em Lauro de Freitas, e o sr. Manoel, defensor dos direitos humanos em Cícero Dantas. Posteriormente ouvirá a testemunha ocular e o secretário de educação, prof. Antônio Valter. Também deverá ser ouvido o secretário de administração, prof. José Mário Nunes Santos. De um deles partiram as supostas ameaças a Maria Andrade, segundo relato da testemunha que ainda não teve sua identidade revelada.   
Nesta terça-feira, 27, Maria Andrade, a vereadora Ana Dalva, o professor Landisvalth Lima e o delegado José Alves (Direitos Humanos) estiveram na Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia e fizeram um relato detalhado de tudo. Pediram proteção do Estado junto aos órgãos competentes para que possam realizar as atividades pertinentes a cada um. As ameaças podem ser um blefe, mas nunca se sabe. Eles foram recebidos pelo delegado assessor de segurança publica,  Dr. Cleber. Este tomou a termo as declarações feitas pela vítima e depoentes e se comprometeu que tomaria todas as providências cabíveis para investigar juntamente com a Depol local a veracidade dos fatos e, se comprovado crime de ameaça, punir os responsáveis. Neste ato foi entregue a secretaria um relatório de repúdio da Comissão dos Direitos Humanos onde solicita providências urgentes para assegurar a proteção da procuradora da Comissão de Direitos Humanos.