Exclusivo!

Poucas & Boas 2017.3

2020 já começou? Alguns políticos de Heliópolis precisam saber que 2020 só começa após 2018. Ou seja, os resultados de 2018 podem in...

Novidade

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Professores de Adustina fazem manifestação


Professores de Adustina em mais uma luta para efetivação de conquistas

     Está virando rotina a não efetivação das conquistas conseguidas pelos profissionais da educação ao longo de décadas de lutas. Na nossa região, os prefeitos, com raríssimas e honrosas exceções, o de Fátima é um deles, parecem que não estão nem aí para o grito cada vez mais convincente da necessidade de melhorarmos a educação para sairmos do marasmo em que nos encontramos. Contando com um TCM legalista e uma Justiça leniente, os prefeitos deitam e rolam. Empurram com a barriga a aplicação de Leis e vão sufocando a nossa caminhada para o desenvolvimento. Desta vez, após Heliópolis, os professores da rede municipal de ensino no município de Adustina-BA realizaram na última tarde do dia 14 de novembro uma caminhada pelas ruas cobrando melhores salários, pagamento do ajuste do FUNDEB, plano de carreira para os demais trabalhadores em educação e repasse do retroativo referente a 2010. De acordo com o presidente da APLB local, professor Fabio Batista, o prefeito vem descumprindo a lei do piso e uma orientação do juiz que determinou a entrega das folhas de pagamento ao sindicato. Os professores cobram o pagamento imediato de R$ 216.000,00 de complementação do FUNDEB referente a 2010, que o prefeito se nega a pagar. Também cobram maior transparência do conselho do FUNDEB, hoje apenas um legitimador os malfeitos da gestão. A manifestação contou com a participação dos filiados ao sindicato, simpáticos a causa da educação, alunos e trazia slogan como “Professor não é palhaço, seu ofício é seriedade.” O presidente afirmou que a APLB Sindicato irá mover mais três ações contra a prefeitura no sentido de garantir direitos assegurados a categoria e, até o final do ano letivo, preparam mais protestos. Todos os sindicatos da região estão indo em busca da Justiça Federal, já que a estadual parece estar atarefada demais para atender os reclamos dos professores e servidores da educação. 
     Por: José Salomão de Adustina-BA, com informações complementares e foto do portal de Carlino Souza.