Exclusivo!

TCE fará evento no CEJDS

TCE quer alunos praticando cidadania (foto: divulgação)      O Tribunal de Contas do Estado da Bahia – TCE – está desenvolvendo o pr...

Novidade

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Aldo Rebelo, novo ministro do Esporte, recebeu doações de patrocinadores da CBF


     Nome do deputado foi indicado pelo PC do B e aceito pela presidente Dilma Rousseff para substituir Orlando Silva
 Andre Dusek (foto)  e Eduardo Bresciani (texto), do estadão.com.br
     Único nome apresentado pelo PC do B à presidente Dilma Rousseff, o deputado Aldo Rebelo (foto) foi oficializado para chefiar o Ministério do Esporte. Em reunião na manhã desta quinta-feira, 27, a presidente acatou a indicação do partido para substituir Orlando Silva, que pediu demissão nessa quarta-feira, 26, após 12 dias sob denúncias de desvio de dinheiro público na pasta.
  Ao ser convidado para ocupar a pasta, o deputado disse ter agradecido a confiança da presidente e que aceitará o desafio, procurando cumprir a tarefa da melhor maneira possível. A data da posse ainda não foi marcada, mas a nomeação será publicada nesta sexta-feira, 28, no Diário Oficial da União.
    Aldo disse que ele e Dilma conversaram sobre os desafios do ministério, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, mas não quis antecipar as primeiras providências que serão tomadas. Ele disse que ainda vai entrar em contato com a equipe e só depois avaliar as prioridades. "Vamos começar a fase de transição e só então posso falar sobre outras questões", afirmou.
     O presidente do PC do B, Renato Rabelo, que acompanhou o encontro disse estar satisfeito com a indicação. "É um grande quadro político e vai dar uma grande contribuição ao Ministério"
O PC do B estudava também a indicação da deputada Luciana Santos (PE) e o presidente da Embratur, Flávio Dino (MA). Na reunião desta manhã, no entanto, o presidente do partido, Renato Rabelo, apresentou somente o nome do deputado, que no fim da manhã participou do encontro da sigla com Dilma. Momentos antes, o ex-ministro Orlando Silva, no Twitter, sinalizou, nesta pela manhã, a indicação de Aldo para o ministério, ao lhe desejar bom trabalho.
     Histórico. Aldo Rebelo assume a pasta com a experiência de quem presidiu uma Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entre 2000 e 2001. O atual presidente da CBF, Ricardo Teixeira — investigado pela CPI —, é quem comanda Comitê Organizador Local da Copa, órgão com o qual o novo ministro terá de negociar a organização da Copa de 2014.
     Novo ministro do Esporte recebeu doações de patrocinadores da CBF
     De acordo com a prestação de contas da última campanha, três de dez empresas ligadas à Confederação doaram dinheiro ao deputado, além de empreiteiras envolvidas na construção de estádios da Copa
     O novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PC do B-SP), recebeu doações de campanha de empresas patrocinadoras da Confederação Brasileira de Futebol. Ele foi o presidente da CPI da CBF/Nike, mas nos últimos anos se aproximou de Ricardo Teixeira sendo um de seus interlocutores no Congresso. As declarações de bens do deputado mostram que ele teria perdido quase a metade do seu patrimônio entre 2006 e 2010.
     Segundo as informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a prestação de contas de Aldo nas eleições do ano passado mostra que ele recebeu doações de três dos dez patrocinadores da CBF. O deputado comunista recebeu R$ 50 mil do banco Itau Unibanco, R$ 25 mil da Fratelli Vita Bebidas, que pertence à Ambev e R$ 80 mil da Companhia Brasileira de Distribuição, que controla o Grupo Pão de Açúcar.
     O deputado recebeu ainda dinheiro de empreiteiras envolvidas na construção de estádios para a Copa do Mundo de 2014. No ano passado, a Mendes Júnior doou R$ 100 mil a Aldo. A construtora participa das obras em Cuiabá. Em 2006, o deputado comunista recebeu R$ 40 mil de uma empresa do grupo Odebrecht, que está a frente de obras em quatro dos doze estádios do evento. Ele recebeu ainda R$ 200 mil em 2010 e outros R$ 250 mil em 2006 da construtora Camargo Corrêa, que não participa, porém, da construção de estádios.
     Patrimônio. As informações prestadas ao TSE mostram ainda um dado curioso. O deputado perdeu quase a metade de seu patrimônio desde 2006. Naquele ano Aldo declarou ter R$ 612,9 mil em bens. No ano passado, este montante caiu para R$ 376,3 mil. A perda se deve basicamente a uma casa de R$ 203 mil declaradas em 2006 e que não consta na prestação de contas do ano passado. Em 2010, o único imóvel declarado por Aldo é uma casa em Viçosa (AL), que estava em construção quatro anos antes.