Novidade

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Pedro Novais é o 5º ministro que sai do governo

Paula Filizola - do Correio Braziliense

     O Palácio do Planalto confirmou que a presidente Dilma Rousseff aceitou o pedido de demissão apresentado pelo ministro do Turismo, Pedro Novais (foto). De acordo com a ministra da Secretaria de Comunicação Social, da Presidência da República, Helena Chagas, Dilma decidirá nas próximas horas quem será o substituto de Novais. Por meio de sua assessoria, Michel Temer informou que o nome do novo ministro será apresentado à presidente ainda hoje. O nome está sendo definido, neste momento, pela bancada do PMDB na Câmara.
     Segundo a ministra, a reunião de Dilma com Novais, em que ele comunicou sua saída, durou cerca de 15 minutos e foi acompanhada pelo vice-presidente Michel Temer. Ao sair da reunião com o ministro do Turismo, Pedro Novaes, na tarde desta quarta (14), o vice-presidente confirmou que a carta de demissão do ministro já havia sido entregue à presidente Dilma Rousseff.
     Em nota oficial, o ministério divulgou o conteúdo da carta de demissão do ministro Pedro Novais. "Excelentíssima Senhora Presidenta Dilma Rousseff, Cumpro o dever de pedir-lhe minha exoneração do cargo de Ministro de Estado do Turismo, para o qual fui honrosamente nomeado por Vossa Excelência. Aproveito o ensejo para externar-lhe meus protestos de elevada consideração e respeito", diz a carta.
     Antes de entrar no gabinete do vice-presidente, o líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN), já havia confirmado a saída do ministro do Turismo do cargo e disse que a decisão foi tomada pelo próprio ministro, que alegou ao partido “precisa de tempo para se defender”. Ao chegar para a reunião, o ministro disse que não sabia qual era o motivo da convocação. "Não sei que reunião é essa. Eu vim conversar com o meu amigo, o vice-presidente Michel Temer".
     Novais é suspeito de uso irregular de recursos públicos. A situação do ministro se complicou nesta semana, após reportagens publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo que afirmam que o ministro pagou, com recursos da Câmara, uma empregada doméstica e que sua mulher, Maria Helena de Melo, é atendida por um motorista da Casa. Novais já havia enfrentado denúncias de desvios de recursos em sua pasta, esquema investigado pela Operação Voucher da Polícia Federal. Nessa operação, mais de 30 pessoas foram presas e afastadas de seus cargos.