Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cidade de Deus ganha moeda própria


Cédulas valem só na favela da zona oeste do Rio e dá desconto a quem usa
Bruno Boghossian - Foto: Ratão Diniz - de O Estado de S.Paulo
RIO - A Cidade de Deus, favela da zona oeste do Rio, ganhou nesta quinta-feira, 15, sua moeda própria, que homenageia em suas cédulas moradores ilustres da comunidade. Com valor equivalente ao real, a CDD será válida apenas dentro do bairro e dará direito a descontos de até 10% para os consumidores que a utilizarem.
O projeto foi desenvolvido pela prefeitura do Rio e pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Solidário do município. O objetivo é estimular o comércio local, evitando que os moradores deixem a comunidade para fazer compras em regiões vizinhas.
"Se não há consumo interno na comunidade, a riqueza local escoa para outras áreas", avaliou o secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário, Marcelo Henrique da Costa.
Cerca de cem comerciantes já se cadastraram para receber a CDD - entre eles um vendedor de cocada, que fez a primeira venda com o uso da moeda. O projeto será operado pelo Banco Comunitário Cidade de Deus, que também dará acesso a linhas de crédito em reais para os pequenos empresários e empréstimos em CDD para os consumidores.
A nota de menos valor, de 50 centavos, traz a imagem da Casa do Barão, imóvel erguido no período colonial naquela região. Nas cédulas de 1, 2, 5 e 10 CDDs (veja foto), estão os rostos de moradores ilustres.
Dona Geralda Maria de Jesus, de 82 anos, aparece na nota de 1 CDD. Moradora da Cidade de Deus desde 1965, ela criou um grupo que distribui leite e pão com manteiga para gestantes e crianças carentes da comunidade.
O projeto da moeda social da comunidade foi inspirado nos modelos do bairro Conjunto Palmeiras, em Fortaleza, onde circula a palma, e do município fluminense de Silva Jardim, que adotou o capivari.