Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sindheli! Onde estás que não respondes?


                               Landisvalth Lima
Esta quarta-feira, 11 de Maio, foi o dia nacional para marcar a luta pelo Plano Nacional de Educação e a definitiva implantação do Piso Nacional do salário dos professores. São, portanto, duas bandeiras. A primeira está só no início e a segunda parece que não vai acabar nunca, já que o que falta de prefeito usurpador do dinheiro da educação que não quer pagar o devido aos professores não está no gibi. Apesar de tudo que está em jogo, em Heliópolis o dia passou em branco.
Está mais claro que o Sindheli, Sindicato dos Servidores Públicos de Heliópolis, entrou em rota de repouso profundo. É verdade que o Presidente, Prof. Quelton Almeida, estava em viagem a São Paulo e mal chegou. Mas um sindicato é só o seu presidente? Fato é que a rede municipal de ensino não aderiu. Muitas escolas funcionaram precariamente porque os alunos não foram. Só o Colégio Estadual José Dantas de Souza teve adesão de 100%, mas foi só mais um feriado. Nenhuma mobilização, reunião, debate ou coisa que o valha.
Muitos professores fizeram sua obrigação. Pararam para dar apoio. Faltou o sindicato fazer a sua parte com a mobilização. Isto é a prova de que estamos longe de um sindicalismo de classe. Parece que os professores de Heliópolis estão contentes com o salário que não beija os 800 reais. Estão contentes com os mais baixos índices educacionais nunca antes vistos na história do município. Estão, finalmente, contentes com as precárias condições de trabalho nas escolas, com a ausência de material didático, suficiente e de qualidade, e com a contratação de alguns ilustres professores que não passariam numa prova simples para inspetor de quarteirão. Decididamente, eles não querem concurso público. Talvez este blogueiro é que seja um sonhador. É só um emprego, Landisvalth!
Ouvi um professor afirmar que o professor Quelton telefonou para Caduda, de Poço Verde, para ver o que faria. Recebeu como resposta a ideia de não aderir ao movimento nacional para ter mais gás para movimentos futuros. Sinceramente, Quelton deveria passar o sindicato para ser presidido por Caduda. Mas então as decisões não são tomadas em assembleia? Consultar Caduda, pela larga experiência no sindicalismo é uma coisa. Esta decisão deveria ser tomada em Assembleia, Sr. Presidente. E para seu governo, o sindicato do professor Caduda fez manifestações em quase todo o Estado de Sergipe neste dia!
Eu sei que a luta contra os desmandos neste país é árdua, continua e cansativa. Tem que praticar um pouco a filosofia da Marta Suplicy. Há, entretanto, determinados momentos que a gente não pode falhar. Temos que ocupar os espaços que nos são oferecidos. Passar um dia de luta como este sem debater a educação pode passar a ideia de que tudo isso é apenas uma corrida em busca de dinheiro. Isso não pode se tornar uma verdade. Por isso é preciso gritar sempre, Sindheli...! Sindheli!!? Onde estás que não respondes?